Linguagem: EnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish

Exportação de manga bate recorde em 2020: R$ 246,9 milhões

24-04-2021 19:23:38 (922 acessos)
Crescimento de 10% sobre a safra anterior, a manga das espécies Kent, Keitt e Palmer, rendeu R$ 246,9 milhões em exportação em 2020, para a Europa. Para o mercado americano, maior parte foi da modalidade Tommy Atkins. No total foram 243,2 mil toneladas. Esses números animaram os produtores que esperam ganhar novos mercados e conquistar novos recordes, mesmo no tempo de isolamento por causa da infecção oportunista do coronavírus.

 


 

Vendas para o exterior se intensificaram a partir do segundo semestre com

valores máximos atingidos nos últimos oito anos.

Entre os fatores que promoveram o desempenho estão a taxa de

câmbio, a diminuição da produtividade da fruta em países

concorrentes e a expansão do mercado norte-americano.

Fazenda do Vale do São Francisco alcançou

faturamento 30% maior em relação a 2019

Demanda externa cresceu mais que a produção

nacional e previsão para 2021 é bastante positiva.

Mesmo diante da pandemia da Covid-19, a manga do Brasil ultrapassou recordes de exportação durante o ano de 2020. O Observatório do Mercado de Manga da Embrapa Semiárido (PE), a partir de dados do Comex Stat (MDIC), apontou que os valores e volumes das exportações no último ano cresceram mais de 10% em relação ao ano anterior.

Em 2020, as exportações da manga nacional, em especial das variedades Tommy Atkins para o mercado americano; e Kent, Keitt e Palmer para a Europa, atingiram o valor de U$S 246,9 milhões com a venda para o mercado externo de 243,2 mil toneladas de manga. Durante os primeiros cinco meses, o valor exportado se manteve na média histórica, enquanto nos meses de junho a dezembro atingiram o recorde de valores já alcançados desde 2012, período analisado pelo Observatório.

Em volume de exportação, esses números representam um aumento de 13% em relação a 2019, se mantendo acima da média durante todo o ano. Também obteve, entre junho e dezembro, os volumes máximos registrados para o período nos últimos oito anos. 

O Observatório analisou ainda o preço em Dólar de caixas de manga de 4 quilos. Apesar da taxa de câmbio favorável para os exportadores durante todo o ano, devido à alta do Dólar, entre fevereiro e maio os preços foram os mais baixos. De maio a setembro melhoraram e, a partir de outubro, baixaram novamente devido à sazonalidade anual.

Para o pesquisador João Ricardo Lima, responsável pelas análises realizadas no Observatório da Manga da Embrapa, o cenário positivo envolveu diversos fatores. São por exemplo a taxa de câmbio, a diminuição da produtividade da fruta em países concorrentes, como a Espanha e alguns africanos. Além disso ocorreu a expansão do mercado americano, que esteve bastante favorável para a Tommy Atkins do Brasil.  

 

 

Fonte: EMBRAPA - Assessoria de Comunicação Social
 

 Não há Comentários para esta notícia

 

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Noticiario, não reflete a opinião deste Portal.

Deixe um comentário

taqKy