Linguagem: EnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish

Queda do nível de água no Canal do Panamá, preocupação mundial

Queda do nível de água no Canal do Panamá, preocupação mundial
24-02-2024 13:01:02 (283 acessos)
Redução dos níveis de água no Canal do Panamá é mais uma preocupação dos agentes de transporte para o comércio internacional. Ali o total de trânsito foi reduzido em 49%. Como se não bastasse diminuição de 42% de transporte do Canal de Suez, provocados pelos conflitos da Europa e Oriente Médio, a adversidade fez cair 67% a circulação de navios porta contêineres. Agravante mostra que mercadorias que sofreram quedas "significativas" são petróleo e gás.

 


Análise da Organização das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimentgo (UNCTAD), ionforma que o Canal do Panamá, uma artéria crítica que liga os oceanos Atlântico e Pacífico, enfrenta um desafio separado: a diminuição dos níveis de água. A diminuição dos níveis de água no canal levantou preocupações sobre a resiliência a longo prazo das cadeias de abastecimento globais, sublinhando a fragilidade da infra-estrutura comercial mundial.

A UNCTAD estima que os trânsitos que passam pelo Canal de Suez diminuíram 42% em comparação com o seu pico. Com os principais intervenientes na indústria naval a suspender temporariamente os trânsitos de Suez, os trânsitos semanais de navios porta-contentores caíram 67% e a capacidade de transporte de contentores, o trânsito de petroleiros e os transportadores de gás sofreram quedas significativas. Entretanto, o total de trânsitos através do Canal do Panamá caiu 49% em comparação com o pico.
Incerteza dispendiosa



Aumento da incerteza e o desvio do Canal de Suez para contornar o Cabo da Boa Esperança estão a ter um custo económico e ambiental, representando também uma pressão adicional sobre as economias em desenvolvimento.

Crescendo significativamente desde Novembro de 2023, o aumento nas taxas médias de frete spot de contentores registou o maior aumento semanal de sempre, crescendo em US 500,- na última semana de Dezembro. Esta tendência continuou. As taxas médias de transporte spot de contêineres de Xangai mais que dobraram desde o início de dezembro (+122%), crescendo mais que triplicaram para a Europa (+256%) e até acima da média (+162%) para a costa oeste dos Estados Unidos, apesar de não irem através de Suez.

Os navios evitam os canais de Suez e do Panamá e procuram rotas alternativas. Esta combinação traduz-se em distâncias de viagem de carga mais longas, custos comerciais e prémios de seguro crescentes. Além disso, as emissões de gases com efeito de estufa também estão a aumentar devido à necessidade de percorrer distâncias maiores e a maior velocidade para compensar os desvios.

O Canal do Panamá é particularmente importante para o comércio exterior dos países da Costa Oeste da América do Sul. Aproximadamente 22% do volume total do comércio exterior chileno e peruano depende do Canal. O Equador é o país mais dependente do Canal, com 26% por cento dos seus volumes de comércio exterior atravessando o Canal.

O comércio externo de vários países da África Oriental é altamente dependente do Canal de Suez. Aproximadamente 31% do volume do comércio exterior do Djibuti é canalizado através do Canal de Suez. Para o Quénia, a percentagem é de 15% e para a Tanzânia é de 10%. Entre os países da África Oriental, o comércio externo do Sudão depende mais do Canal de Suez, com cerca de 34 por cento do seu volume comercial atravessando o Canal.

Preços em alta

A UNCTAD sublinha as potenciais implicações económicas de longo alcance de perturbações prolongadas no transporte de contentores, ameaçando as cadeias de abastecimento globais e potencialmente atrasando as entregas, causando custos mais elevados e inflação. O impacto total das taxas de frete mais altas será sentido pelos consumidores dentro de um ano.

Além disso, os preços da energia estão a subir à medida que o trânsito de gás é interrompido, o que tem um impacto directo no fornecimento e nos preços da energia, especialmente na Europa. A crise também poderá ter um impacto potencial nos preços globais dos alimentos, com distâncias mais longas e taxas de frete mais elevadas, potencialmente resultando em aumento de custos. As perturbações nos embarques de cereais provenientes da Europa, da Rússia e da Ucrânia representam riscos para a segurança alimentar global, afectando os consumidores e reduzindo os preços pagos aos produtores.

Impacto sobre o clima

For more than a decade, the shipping industry has adopted reduced speeds to lower fuel costs and address greenhouse gas emissions. However, disruptions in key trade routes like the Red Sea and Suez Canal, coupled with factors affecting the Panama Canal and Black Sea, are leading to increased vessel speeds to maintain schedules which have resulting in higher fuel consumption and greenhouse gas emissions.

UNCTAD estimates that higher fuel consumption resulting from longer distances and higher speeds could result in up to 70% rise in greenhouse gas emissions for a Singapore-Rotterdam round trip. 

 

 

Fonte: UNCTAD
 

 Não há Comentários para esta notícia

 

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Noticiario, não reflete a opinião deste Portal.

Deixe um comentário

W5vh7