Linguagem: EnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish

Conflitos perturbam comércio mundial e provocam quedas preocupantes

Conflitos perturbam comércio mundial e provocam quedas preocupantes
[foto] - Grandes embarcações enfrentam desafios nos mares e afetam comércio
26-01-2024 22:23:46 (107 acessos)
Diminuíram 42% nos últimos 60 dias, as cargas que trafegam pelo Canal de Suez. Esse novo desafio para o comércio mundial, está ligado ao crescimento de agressões às embarcações em todos os mares, especialmente naqueles próximos da Ucrânia. Mas outro fenômeno prejudicial , ocorre com a redução das águas do Canal do Panamá que fez cair 36% os trânsitos no mês de dezembro e início de janeiro de 2024. Para a Conferência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento, UNCTAD, há mudanças.

 


Entendem os analistas que estão ocorrendo "mudanças substanciais no comércio de petróleo e cereais," com a continuidade do conflito na Ucrânia. 

As implicações das alterações climáticas na capacidade do canal, a longo prazo, estão a levantar preocupações sobre os impactos duradouros nas cadeias de abastecimento globais.

A crise no Mar Vermelho, acrescentou outra camada de complexidade, marcada por ataques liderados pelos Houthi que perturbaram as rotas marítimas. Os principais players da indústria naval suspenderam temporariamente os trânsitos de Suez em resposta. Notavelmente, o trânsito semanal de navios porta-contentores despencou 67% em comparação com o ano anterior, com a capacidade de transporte de contentores, o trânsito de navios-tanque e os transportadores de gás, a registarem declínios significativos.

O aumento nas taxas médias de frete spot de contêineres durante a última semana de dezembro, em mais US$ 500, em uma semana, foi o maior aumento semanal de todos os tempos. As taxas médias de transporte spot de contêineres de Xangai nesta semana, aumentaram 122% em comparação com o início de dezembro; ou seja, mais que dobrou.

As taxas de Xangai para a Europa mais do que triplicaram, aumentaram 256%. As tarifas para a costa oeste dos Estados Unidos também aumentaram acima da média, embora não passem por Suez. Aumentaram 162%. Aqui está o impacto global da crise, à medida que os navios procuram rotas alternativas, evitando o Suez e o Canal do Panamá.

O efeito cumulativo destas perturbações, traduz-se em distâncias alargadas de viagem de carga, custos comerciais crescentes e um aumento nas emissões de gases do efeito estufa, resultantes do transporte marítimo que tem de percorrer distâncias maiores e a maior velocidade.

Evitar o Canal de Suez e Canal do Panamá exige mais dias de transporte, resultando em aumento de despesas. Aumentaram o preço por dia do frete e os prêmios de seguro, agravando o custo geral do trânsito. Além disso, os navios são obrigados a viajar mais rapidamente para compensar desvios, queimando mais combustível por quilómetro e emitindo mais CO2, agravando ainda mais as preocupações ambientais.

Implicações globais: aumentos nos preços dos alimentos e da energia.

UNCTAD sublinha as implicações econômicas de longo alcance destas perturbações. As interrupções prolongadas, especialmente no transporte de contentores, representam ameaça direta às cadeias de abastecimento globais, podendo levar a atrasos nas entregas e ao aumento dos custos.

Embora as atuais taxas de contentores sejam aproximadamente metade do pico durante a crise do coronavírus, leva tempo a transferência de taxas de frete mais elevadas para os consumidores, e espera-se que o impacto total se manifeste dentro de um ano.

Preços da energia estão a registar aumento à medida que o trânsito de gás é interrompido, afetando diretamente o fornecimento de energia, especialmente na Europa. A crise também está a repercutir-se nos preços globais dos alimentos, com distâncias mais longas e taxas de frete mais elevadas, potencialmente resultando em aumento de custos.

Perturbações nos embarques de cereais provenientes da Europa, da Rússia e da Ucrânia representam riscos para a segurança alimentar global, afetando os consumidores e reduzindo os preços pagos aos produtores.

Impacto nos países em desenvolvimento

Países em desenvolvimento são particularmente vulneráveis ??a estas perturbações e a CNUCED permanece vigilante na monitorização da evolução da conjuntura.

A organização enfatiza a necessidade urgente de adaptações rápidas por parte da indústria naval e de uma cooperação internacional robusta para navegar na rápida remodelação da dinâmica do comércio global. Os desafios atuais sublinham a vulnerabilidade do comércio às tensões geopolíticas e aos desafios relacionados com o clima, exigindo esforços coletivos para soluções sustentáveis, especialmente em apoio aos países mais vulneráveis ??a estes choques.

 

 

Fonte: UNCTAD
 

 Não há Comentários para esta notícia

 

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Noticiario, não reflete a opinião deste Portal.

Deixe um comentário

bIpa7