Linguagem: EnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish

Pesquisa da Universidade Harvard recomenda cuidado com remédios

Pesquisa da Universidade Harvard recomenda cuidado com remédios

09-07-2024 10:44:36
(348 acessos)
 
Uso da Semaglutida, princípio ativo do remédio Ozempic para controlar o diabetes e do Wegovy para perder peso, pode causar neuropatia óptica isquêmica anterior-não arterítica (NOIA-NA), condição oftalmológica rara que pode levar à perda da visão. Conclusão é de pesquisadores da Universidade de Harvard (EUA) e está sendo refletida pelo Instituto Penido Burnier, de Campinas (São Paulo). Só o glaucoma é mais grave que essa doença ao causar cegueira, observa o diretor, médico Leôncio Queiroz Neto.

 


Estudo mostra que a prescrição de Ozempic e Wegovy

aumentou em até 7 vezes o diagnóstico de

lesão rara no nervo óptico. 

 

Pesquisa da Universidade de Harvard recém-publicada na revista científica da Academia Americana de Oftalmologia, JAMA Ophthalmology, alerta que a Semaglutida, princípio ativo do Ozempic para controlar o diabetes e do Wegovy para perder peso, pode causar neuropatia óptica isquêmica anterior-não arterítica (NOIA-NA), condição oftalmológica rara que pode levar à perda da visão.

Diabetes e obesidade não param de crescer no Brasil e isso fez o consumo desses dois medicamentos explodir no País. Para se ter ideia, dados da pesquisa Vigitel 2023 realizada pelo Ministério da Saúde revelam que 10,2% da população com 18 anos ou mais têm diagnóstico de diabetes, sendo 11,2% entre mulheres e 9,2% entre homens. Quanto maior a faixa etária mais frequente é a doença chegando a 30,3% entre os brasileiros com 65 anos.

Ministério também revela que 61,4% dos brasileiros têm sobrepeso e aos 54 anos são 70,7%.

Para o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, diretor executivo do Instituto Penido Burnier, o estudo não surpreende. Isso porque, o diabetes e a obesidade são fatores de risco para desenvolver a NOIA-NA. A doença é uma lesão no nervo óptico causada pela interrupção do fluxo sanguíneo.  A condição só fica atrás do glaucoma como causa de perda irreparável da visão, embora nem todas as pessoas acometidas fique completamente cegas.

Outros fatores de risco

Queiroz Neto ressalta que a NOIA-NA também pode ocorrer em pessoas que fazem tratamento com amiodarona para arritmia cardíaca, usam  medicamentos para disfunção erétil como o Viagra,  têm  disco do nervo óptico pequeno, fumantes, portadores de aterosclerose, hipertensão arterial, apneia obstrutiva do sono, tendência  à formação de coágulos sanguíneos e  pressão arterial baixa à noite.

Por isso, na opinião do especialista antes de prescrever estes medicamentos é necessário gerenciar estas variáveis. Pode ser que muitos dos participantes desta pesquisa que desenvolveram a NOIA-NA tinham contraindicações para o medicamento que até então eram desconhecidas.

Pesquisa em 3 anos

Os pesquisadores acompanharam por três anos um grupo de 750 pacientes diabéticos que foram divididos em dois grupos. Um que usou o Ozempic e outro que fez o tratamento com remédios diferentes.  No final do período o número de pacientes que usou Ozempic e teve lesão no nervo óptico, superou em mais de quatro vezes o outro grupo.  

O mesmo método foi utilizado com 919 pacientes obesos divididos em um grupo que usou Wegovy e outro que fez o tratamento com diferentes classes de medicação. O número de pacientes que desenvolveram NOIA-NA usando Wegovy foi 7,6 vezes maior.

Diagnóstico e tratamento

Queiroz Neto afirma que a neuropatia óptica isquêmica não arterítica não apresenta dor ou outro desconforto. A perda da visão é súbita e o diagnóstico inclui exame da parte posterior do olho.

Especialista ressalta que não existe tratamento efetivo para a condição, uma vez que células nervosas são irrecuperáveis. "A recomendação é reduzir fatores de risco para aterosclerose, controlar da pressão arterial e para quem tem apneia do sono é aconselhável a polissonografia."  Isso porque, cerca de um terço das pessoas com apneia apresenta melhora parcial espontânea da visão e o outro olho é afetado em 15% a 20% das pessoas.

 

 

Fonte: Instituto Penido Burnier SP - Eutrópia Turazzi
 

 Não há Comentários para esta notícia

 

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Noticiario, não reflete a opinião deste Portal.

Deixe um comentário

wXpkB