Linguagem: EnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish

Acaba o pedágio no Paraná e Estado assume até o leilão de 3.328 km

 

Cancelas do pedagio estao fechadas. Motorista deve usar a via do lado direito e reduzir velocidade.
26-11-2021 19:18:35 (122 acessos)
Está terminada no Paraná, uma história de mais de 24 anos marcada pela ação das empresas de pedágio que administravam mais de 3.320 quilômetros (km) de rodovias no Estado. As cancelas são fechadas à meia noite dos dias 26 e 27 de novembro, com a esperança de retornarem 1 ano depois, com taxas mais baratas. Estavam entregues a 6 concessionárias, 1.164 km do sistema estadual e 2.164 rodovias construídas pelo Governo Federal.

Motoristas não devem passar pelos postos de pedágio que usavam normalmente

para efetuar o pagamento. Procure o lado direito que está indicado em cada uma

das 27 praças de pedágio. Ali a velocidade é mínima e há promessa de que serão

abertas várias passagens caso haja congestionamento. Esta é a maior interrogação

do planejamento, devido ao elevado número de veículos em qualquer uma das rodovias.

Sem qualquer evento mas muita ação política, as rodovias foram assumidas pelo Governo do Paraná, com a promessa de realizar "manutenção e serviços necessários, até que novo contrato entre em vigor." E isso deve acontecer ao final de 2022, após a escolha de novas empresas administradoras, em leilão na Bolsa de Valores de São Paulo (B3).  

Estão em andamento todos os procedimentos visando esse leilão. É um trabalho que amadurece em até 180 dias, através da publicação dos editais ofertando os lotes para a concessão. 

Há meses o assunto vem sendo discutido e se definiu no Parlamento estadual com a participação de interessados do povo. A base de tudo foi um modelo que apontará o vencedor que propiciar "tarifas mais baixas". 

Na licitação será obrigatória a realização de 1.800 km de duplicação, construção de contornos nos centros urbanos mais populacionados, assim como trincheiras (passagens inferiores e superiores) e outras obras de arte especiais que forem necessários nos trechos. Investimentos previstos chegam à ordem de R$ 43 bilhões nos 6 lotes rodoviários, durante os próximos 30 anos. 

Atendimento a usuários

Durante esse ano do intervalo até o leilão, as rodovias paranaenses serão de responsabilidade do Governo do Estado, mas terão a interveniência do Governo Federal nas rodovias que pertencem à União. 

Socorro médico e mecânico

O Estado definiu 35 bases para atendimento, que será feito pela Polícia Rodoviária Estadual, Bombeiros com o SIATE e equipes da Secretaria de Saúde e SAMU. Para prevenir a demanda, foram colocadas à disposição mais 38 ambulâncias, além das 284 existentes. 

No caso de acidentes

No caso de acidentes nas rodovias, os envolvidos

ou interessados devem recorrer aos telefones

191, 198, 190 (Polícia Militar),

193 (Corpo de Bombeiros) e 192 (SAMU). 

A Polícia vai processar a retirada para desobstruir a via e colocar o tráfego em funcionamento. Mas o proprietário do veículo automotor é quem deve providenciar a remoção, pagando as despesas, especialmente do guincho. A mesma atividade será desenvolvida pela PRF.

Junto aos postos de pedágio na tarde da sexta-feira, 26, ainda não se via nenhuma estrutura organizada. Há expectativa de que os aparatos estejam disponíveis já na próxima segunda-feira, dia 29 de novembro. 

 

Fonte: Jornalista Moreira
 

 Não há Comentários para esta notícia

 

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Noticiario, não reflete a opinião deste Portal.

Deixe um comentário

rqAEP