Linguagem: EnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish

Oceanos tem compromisso de 150 países por melhores cuidados

 

Oceanos tem compromisso de 150 países por melhores cuidados
[foto] - Representantes de governos e empresas prometem proteger oceanos.
02-07-2022 19:46:25 (77 acessos)
Proteger pelo menos 30% das zonas marítimas nacionais até 2030; reduzir a zero a poluição causada por plástico até 2050 e garantir que 100% dos estoques de peixes sejam mantidos dentro dos limites biologicamente sustentáveis. Banco de Desenvolvimento da América Latina promete investir US$ 1,2 bilhão para apoiar projetos que beneficiem o oceano na região e o Banco de Investimento Europeu repassará 50 milhões de euros para a Iniciativa Oceanos Limpos, na região do Caribe. 

 

Estas são as principais decisões da Conferência dos Oceanos, promovida em Lisboa (Portugal) pela Organização das Nações Unidas. Uma declaração final está assinada por 150 países-membros da ONU. Chefes de Estado e de governos afirmaram estar "profundamente alarmados com a emergência global enfrentada pelos oceanos, incluindo aumento do nível do mar, da erosão costeira, do aquecimento e da acidificação dos oceanos."

Decidiram "tomar medidas urgentes" para se alcançar todas as metas o mais rápido possível e sem mais demora”. 

Durante toda a semana, várias entidades anunciaram investimentos para tornar as promessas realidade. Miguel Cerpa Soares, respons´pavel jurídico da Organização, anunciou que a entidade Desafio Protegendo o Nosso Planeta investirá US$ 1 bilhão para a expansão de áreas marinhas protegidas até 2030; o Banco de Desenvolvimento da América Latina promete investir US$ 1,2 bilhão para apoiar projetos que beneficiem o oceano na região e o Banco de Investimento Europeu repassará 50 milhões de euros para a Iniciativa Oceanos Limpos, na região do Caribe. 

Declaração ede Lisboa lembra que “a mudança climática é um dos maiores desafios do nosso tempo” e cita outros problemas que afetam os oceanos: derretimento da calota polar; mudanças na abundância e distribuição das espécies marinhas, como peixes; impactos em ilhas e comunidades costeiras; impactos humanos para os oceanos, incluindo para a degradação de ecossistemas e extinção das espécies. 

Metas e compromissos

Ao destacarem que ações inovadoras baseadas na ciência podem contribuir com as soluções necessárias o alcance do ODS (Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável) 14, os países se comprometem com diversas metas, incluindo:

  1. Restaurar e manter os estoques de peixes a níveis que produzam o rendimento máximo sustentável no menor tempo possível, diminuindo perdas nas capturas e devoluções desnecessárias de peixes, além de combater a pesca ilegal e irregular;
  2. Monitorar ações para pesca e aquicultura sustentáveis em prol de uma alimentação nutritiva e de sistemas alimentares resilientes;
  3. Prevenir, reduzir e controlar todos os tipos de poluição marinha, de fontes terrestres e do mar, incluindo resíduos sem tratamento, descartes de resíduos sólidos, substâncias químicas e emissões do setor marítimo, incluindo poluição por navios e ruídos subaquáticos;
  4. Prevenir, reduzir e eliminar o lixo plástico marinho, incluindo plásticos de uso único e microplásticos, por meio da reciclagem, da garantia do consumo e de padrões de produção sustentáveis, e por meio do desenvolvimento de alternativas para consumidores e indústrias, além de conseguir a negociação de um tratado legal internacional sobre poluição plástica;
  5. Desenvolver e implementar medidas de adaptação à mudança climática para reverter as perdas, reduzir riscos de desastre e aumentar a resiliência, por meio do aumento do uso de energias renováveis, especialmente com tecnologias baseadas nos oceanos;
     

O documento final da Conferência dos Oceanos também reconhece a importância das comunidades indígenas e do seu conhecimento tradicional. Pede ainda o empoderamento de meninas e de mulheres em prol do avanço de uma economia sustentável baseada nos oceanos.

Os países-membros também querem a garantia de que crianças e jovens sejam empoderados com o reconhecimento necessário e habilidades que os permitam entender a importância e a necessidade de contribuir com a saúde dos oceanos, por meio da educação de qualidade e da literacia do oceano.

Por fim, o texto menciona que “restaurar a harmonia com a natureza por meio de um oceano saudável, produtivo e sustentável, é crítico para o planeta, para as nossas vidas e para o nosso futuro."

 

Fonte: Organização das Nações Unidas, ONU
 

 Não há Comentários para esta notícia

 

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Noticiario, não reflete a opinião deste Portal.

Deixe um comentário

3VL2A