22/06/2016 (17:23)

Governo aguarda verba para ajudar supercomputador de Petrópolis

Uma verba suplementar pedida ao Ministério do Planejamento, vai socorrer o Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), em Petrópolis. Em Brasília a notícia de que a interrupção do sistema denominado "Santos Dumont" causará prejuízos a pesquisas, gerou mal estar. Há movimentação para que o equipamento não pare de funcionar.

 

Informa o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações que o LNCC tem verba orçamentária de R$ 8,1 milhões, suficiente para cobrir os custos do Instituto nos próximos meses. Repasses vêm sendo feitos regularmente. Porém diante da emergência surgida, negocia com a área econômica uma suplementação orçamentária no valor de R$ 4,65 milhões. Está em análise no Ministério do Planejamento.

Laboratório Nacional de Computação Científica iniciou operação em janeiro de 2016 ao custo de R$ 60 milhões. É usado para processar dados, cálculos e simulações de pesquisas científicas e tecnológicas, mas está operando com baixíssima capacidade por restrições orçamentárias.

Gasto de luz é complicador

Augusto Gadelha, diretor, explica que o laboratório não tem recursos para arcar com o custo de energia elétrica. Atualmente, o consumo mensal do LNCC, vinculado ao Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, está em torno de R$ 150 mil. Mas, para o equipamento funcionar a plena capacidade, seriam necessários R$ 500 mil por mês.

Desde janeiro, apenas 6 projetos de pesquisa utilizaram a plataforma. No entanto, o supercomputador poderia armazenar mais 50 pesquisas científicas, caso estivesse operando na plena capacidade. A máquina pode fazer mais de 1 quatrilhão de operações matemáticas por segundo e auxiliar no avanço de estudos nas áreas de bioinformática, meteorologia e de prospecção e exploração de petróleo.

Pesquisa científica e tecnologia

“Um computador com essa capacidade de processamento permite tratar de problemas de vários setores, como meio ambiente, petróleo, saúde, meteorologia, fármacos. É possível realizar projetos de pesquisa e desenvolvimento que, sem esse computador, não se conseguiria realizar. É uma ferramenta necessária hoje para o desenvolvimento científico em geral. Hoje há uma corrida dos grandes países para se ter esses computadores”.

O Santos Dumont, montado pela empresa francesa Atos/Bull, e considerado o supercomputador mais rápido da América Latina, segundo Gadelha. Integra o Sistema Nacional de Processamento de Alto Desempenho (Sinapad), que é uma rede de centros de computação  distribuídos pelo Brasil, voltados para a pesquisa científica e tecnológica.

No LNCC estão em andamento ou projetadas pesquisas sobre o mal de Alzheimer, o mapeamento genético do vírus zika, projetos de desenvolvimento na área petrolífera, de energia, gás.

 

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

SZ4TD4