15/02/2016 (21:27)

Conselho de Segurança analisa denúncia de armas químicas na Síria

Dia 22 de fevereiro será analisada em New York pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas, o uso de armas químicas, mostradas pelo secretário-geral, Ban Ki-moon, na reunião de lideranças que trata de medidas pela paz na Síria. O navio Cape Ray, dos EUA, foi palco da destruição de 581 toneladas de artefatos de destruição apreendidos na guerra.

 

 

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, apresentou (160212) ao Conselho de Segurança da Organização o primeiro relatório sobre o órgão conjunto das Nações Unidas e da Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ) criado para investigar o uso de armas químicas na Síria. O secretário-geral definiu o trabalho como “profissional, independente, objetivo e imparcial”.

De acordo com uma nota emitida pelo Escritório do porta-voz de Ban, o relatório fornece uma visão geral do trabalho do Mecanismo de Investigação Conjunta (JIM, na sigla em inglês) até o momento, as fontes de informação disponíveis para o Mecanismo e a metodologia usada na investigação.

Prêmio Nobel da Paz

O Mecanismo avaliou os incidentes em que as missões de averiguação da OPAQ determinaram que produtos químicos foram ou poderiam ter sido utilizados como armas na Síria, além de identificar potenciais casos para investigação adicional.

A próxima fase do trabalho do Mecanismo incluirá a análise detalhada de todas as informações obtidas, incluindo as vindas dos Estados-membros e de outras fontes; a finalização da lista de casos para investigação com base em todas as informações obtidas; e a condução da investigação, incluindo visitas de campo, conforme necessário, a fim de identificar os indivíduos, entidades, grupos ou governos que foram autores, organizadores, patrocinadores ou de outra forma envolvidos no uso de produtos químicos como armas.

Trabalho vai continuar até que informações e provas suficientes sejam recolhidas e, posteriormente, repassadas ao Conselho de Segurança.

Pelo trabalho na Síria, a OPAQ – que trabalha juntamente com a ONU no País em prol do desarmamento químico – ganhou em 2013 Prêmio Nobel da Paz.

 
 

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

Prg1MI