27/04/2016 (00:23)

Indústrias abandonam o Brasil para fugir de impostos e altos custos

Para fugir dos impostos como ICMS, PIS, cofins e outros que sobrecarregam a produção com reflexos nos preços finais e vendas, muitas indústrias estão deixando o Brasil para se instalar em países vizinhos. Mais de 40 estão mudando-se para o Paraguai, entre as quais a Guararapes que faz o varejo das Lojas Riachuelo e a Buddmayer, de Santa Catarina.

 

Já está implantando um parque industrial respeitável na localidade de Iguazú, a Camargo Corrêa, com a InterCement. Vai produzir cimento e derivados para todos os países do Mercosul e preços muito competitivos, apostando no crescimento de organizações empresariais e da economia de todo o Continente. Deixará Curitiba para produzir na China, a companhia alemã Bosch, instalada há meio século na Cidade Industrial de Curitiba.

Guararapes, segundo relatório da Confederação Nacional da Indústria (CNI), transfere toda a produção implantada há mais de 60 anos no Recife (Pernambuco), para o País vizinho. É a abastecedora das Lojas Riachuelo e de uma centena de outras organizações no País, que para dar atendimento aos clientes precisa comprar na China, 40% dos estoques. Estratégia foi se associar à Terxcin para construir um Centro Industrial, próximo à Ciudad del Leste, com i8nvestimentos de US$ 10 milhões.

Tambérm já está no Paraguai a indústria Buddmayer, que tem sede em Santa Catarina. Vai produzir artigos de cama, mesa e banho e se projetar em outras áreas para atender Chile, Uruguai e Argentina. Há uma expectativa de perda brasileira de quase todo o parque industrial textil. Durante os últimos 12 anos, o segmento foi pressionado pelos custos altos; reclamou centenas de vezes para todas as alas do Governo Federal, mas não foi atendido. Desempregou e poerdeu terreno para a produção da China.

 
Na área fluvial

Companhia Vale, do setor de mineração e aço decidiu instalar no Paraguai uma indústria vltada para o transporte fluvial. Quer aproveitar a tendência de barateamento de fretes, cada vez mais priibitovs no Brasil, por causas diversas, entre as quais os preços de combustíveis e manutenção. Está de olho no incremento do transporte de produtos originários da China. Referências que parecem mentira são confirmadaspelos produtores.

Resumindo, a preferência pelos países vizinhos, é uma luta pela sobrevivência. Estimativas dos produtores têxteis indicam que a economia imediata será de 39%. Segmento da indústria têxtil diz que já em 2016 espera exportar 2% do consumo para os brasileiros. Para as indústrias e empresas que se instalam no Paraguai há isenção de impostos para importação de insumos e bens de capital. E quando forem remeter para os mercados, pagarão apenas 1% de imposto.

Fonte: olho no transporte da

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

BuR9qB