25/11/2015 (17:39)

Cármen Lúcia faz defesa da Justiça e da Constituição. Avisa os corruptos.

Palavra mais veemente na votação para validar a prisão do senador do PT e líder do Governo, Delcídio Amaral, foi da ministra Cármen Lúcia, na sessão do Supremo Tribunal Federal (STF). "O crime não vencerá a justiça", afirmou. E fez relação com a Operação Lava Jato e os agentes e delitos da Ação Penal 470, o "Mensalão". Mandou aviso aos corruptos.

 

"Na história recente da nossa pátria, houve um momento em que a maioria de nós, brasileiros, acreditou no mote segundo o qual uma esperança tinha vencido o medo. Depois, nos deparamos com a Ação Penal 470 e descobrimos que o cinismo tinha vencido aquela esperança. Agora parece se constatar que o escárnio venceu o cinismo. O crime não vencerá a Justiça.

"Aviso aos navegantes dessas águas turvas de corrupção e das iniquidades: criminosos não passarão a navalha da desfaçatez e da confusão entre imunidade, impunidade e corrupção. Não passarão sobre os juízes e as juízas do Brasil. Não passarão sobre novas esperanças do povo brasileiro, porque a decepção não pode estancar a vontade de acertar no espaço público. Não passarão sobre a Constituição do Brasil”

Todos os ministros observaram claramente a mágoa com o que chamaram de "intromissão na ação da justiça" e na tentativa de desqualificar o trabalho da equipe do juiz Sérgio Moro, do Paraná, bem como envolver os ministros do STF em decisões dúbias.

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

blbUJO