17/11/2015 (02:04)

Acordo de R$ 1 bilhão com mineradora Samarco não é suficiente

Membros do Ministério Público de Minas Gerais oficializaram acordo com empresários da Samarco, em Mariana, e oficializaram um acordo de prevenção financeira de R$ 1 bilhão. Mas já ficou estabelecido que esse não é o valor final e que haverá necessidade de outras compensações para reparar danos ambientais e sociais com os habitantes da região.

 

Promotores anunciasram à tarde (151116) o pagamento de "caução socioambiental" de R$ 1 bilhão por conta do rompimento de duas barragens de rejeitos de mineração em Mariana (MG). Compromisso envolve controladoras Vale e a indústria holandesa BHP Billiton. Compensação está se dando em todos os sentidos da vida dos habitantes, inclusive com abastecimento de água.

No plano social, já está decidido que será mudado de lugar o distrito de Bento Rodrigues, inundado (151105) pela lama de rejeitos da mineração. O mesmo pode acontecer com todas as demais localidades destruídas pela ação do rio de poluentes, que já está comprometendo maior parte do Rio Doce e chega ao Espírito Santo, contaminando o mar.

De acordo com o MP, quem vai gerir e aplicar os recursos em ações é a própria Samarco. Mas o termo estabelece que os gastos deverão ser auditados por empresa independente escolhida pela promotoria.

Acidente causou a morte de 7 pessoas conhecidas e há outras 10 desaparecidas.

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

lfeznq