12/10/2015 (12:56)

Na areia de Copacabana o protesto contra 450 assassinatos por mês

Violência que deixa milhares de feridos e média de 450 assassinatos todo mês, desde janeiro até outubro de 2015, gerou protesto com caixões mortuários na areia de Copacabana. Crianças vítimas foram representadas por 6 caixões pequenos e mais 3 de adultos. Protesto e apelos foram expostos pela ONG Rio da Paz e desperta atenção de turistas do mundo.

 

Violência faz tan tas vítimas que o que acontece no Rio de Janeiro "é quase uma Síria", fala Antonio Costa, responsável pela Organização. Famílias estão constantemente expostas aos conflitos que envolvem polícia e criminosos, especialmente dedicados ao tráfico de drogas e armas. E o palco da tragédia começa nas favelas, onde está a classe mais empobrecida. 

 

“O povo tem que gritar e o Poder Público não pode ficar esperando que a solução esteja apenas na Secretaria de Segurança. Nós precisamos de investimentos nas favelas, combate à desigualdade social, políticas públicas para os pobres. Estamos vendo a aproximação dos Jogos de 2016 e é triste ver que não haverá legados para as duas principais necessidades do Rio de Janeiro, que são o combate à miséria e à violência”. É o que diz o diurigente da Rio da Paz.

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

Njmdrm