17/08/2015 (22:00)

Professora de história protesta nas ruas e diz que há perigo às liberdades

Há 30 anos dedicada ao ensino de história, a professora Ana Nachornik vem participando das manifestações de rua contra a corrupção e os membros do Governo brasileiro. Entende que o gesto é para mostrar que todos devem atuar para que o País não caia mais em mãos de dirigentes que podem conduzir ao controle da imprensa e à restrição de liberdades.

 

Observa que a história reserva advertências e acredita que pela filosofia do Partido que está no Governo, há uma tendência em conduzir o País para os mesmos rumos da Venezuela, Cuba e Coreia do Norte. Tentativas de controle do que é publicado nos meios de comunicação e restringir liberdades, estão nessa direção.

"A população está cansada de pagar tantos impostos abusivos, juros altíssimos, e sem nenhum retorno em forma de serviços públicos. Há muitos jovens sem esperanças, indo morar e trabalhar em outros países e que não pretendem voltar tão logo para o Brasil. Há idosos que já perderam a vontade de lutar e não acreditam mais em leis. Acham que o futuro será muito desolador, que não há político sério e que o Brasil não tem mais jeito". A professora que participa da vida partidária, combate a descrença, o desânimo e pede que todos vão à rua protestar, exigir.
 
 
Também se preocupa com  falta de participação nos protestos. Sugere que os empresários fechem os estabelecimentos naquelas horas e que abram oportunidade a que os empregados atuem pela cvidadania. Lembrou disso porque visitou vários supermercados que seguiram abertos no domingo. "Ouvi os trabalhadores. Se o supermercado fechasse as portas poderiam permitir a participação, mesmo que ficassem na rua em frente ao estabelecimento , com camisetas, rosto pintado, bandeiras, mostrandfo adesão ao movimento".
 
 
Mudanças e prática de honestidade
 
Veja o que diz a professora Ana. "Precisamos de mudanças em nosso País. Não podemos mais aceitar tanta corrupção. Precisamos de leis justas e iguais para todos; afinal, como está escrito na própria Constituição Federal: " ...todos são iguais perante a lei". Mas, infelizmente, vemos que a lei não é igual para todos; que os políticos tem uma proteção muito grande (foro privilegiado) e isso faz com que eles cometam irregularidades nos serviços públicos pois sabem que não serão punidos".

"É possível unir forças, combater a violência que assola as nossas cidades e, aos poucos, modelar o nosso querido Brasil do jeito que sempre sonhamos: mais justo e fraterno, valorizando os ensinamentos cívicos e morais e que a honestidade deve prevalecer em nossas vidas.

A honestidade de um político tem que estar acima de tudo. A integridade de uma pessoa é o seu bem mais precioso. Li esta frase num livro: Ser íntegro é fazer o certo mesmo que ninguém esteja olhando". E é isso que a população de bem espera dos nossos políticos. Governantes petistas desonraram a nação brasileira, desviando tanto dinheiro público para os seus cofres particulares, enviando quantias enormes de dinheiro aos ditadores dos países comunistas, sendo cúmplices da crueldade comunista".

 

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

W6HUM7