11/08/2015 (19:36)

Aeroporto Tom Jobim conclui obras de R$ 2 bilhões em abril

"Vai dar orgulho do Galeão". A frase é de Luiz Rocha, presidente do Consórcio RioGaleão que executa obras de ampliação do Aeroporto Internacional do Galeão, no Rio de Janeiro. Projeto será concluído no dia 30 de abril de 2016, apto a receber a demanda para os Jogos Olímpicos de 2016. Será o primeiro do País a operar o maior avião comercial do mundo

 

Concessão envolve R$ 19 bilhões durante 25 anos, que devem retornar aos cofres das empresas participantes do consórcio, mediante aproveitamento de 5% da receita bruta. Primeiros lucros já são previstos de 2015 para 2016, quando espera receber 19 milhões de passageiros. Em 2014 já obteve 17 milhões e em 2015, acredita a administração que chegará a 18 milhões de passageiros. De janeiro a julho de 2015 já experimenta um crescimento de 3%, apesar da crise da economia. Só durante a Olimpíada há previsão de movimento de 1,5 milhão de passageiros.

 

 Atualmente o Aeroporto do Galeão oferece voos para 53 destinos atendidos por 25 empresas aéreas. Estão programados novos destinos como de Rio-Toronto (Canadá), Rio-Frankfurt (Alemanha) e Rio-Zurique (Suiça). Serão abertas 33 mais posições de check-in e 14 posições para as aeronaves.

 

Como será o novo aeroporto

Até agora foram investidos R$ 2 bilhões no projeto de ampliação e modernização do Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro, onde trabalham 24 mil operários, dia e noite. E o presidente do Consórcio resume como ficará: “Teremos uma série de novas lojas, novos restaurantes, a infraestrutura toda renovada, principalmente, no terminal dois e no novo pier, que terá muito conforto, com 26 novas e refrigeradas pontes de embarque. Teremos elevadores com capacidade para 25 passageiros, único nos aeroportos brasileiros. Vai dar orgulho do Galeão”. Tom Jobim é o primeiro aeroporto no Brasil, autorizado a operar voos do maior avião comercial do mundo, o Airbus A-380.

Em fase de construção avançada, o Pier Sul aumentará a capacidade do aeroporto para ofertar 30 novos voos. Do terminal I ao novo Pier Sul, o passageiro terá que percorrer cerca de 600 metros por esteiras rolantes. Serão feitos 280 mil metros quadrados de pátio das aeronaves para aumentar a capacidade de embarque e desembarque das aeronaves.

 

Novos elevadores, escadas e tapetes

Ao término da obra, a área dos terminais de passageiros terá  416 mil m2. No total, serão 27 novos elevadores, 15 novas escadas rolantes e 14 tapetes rolantes, 60 novas lojas e restaurantes, Duty Free com oito mil metros quadrados. Os passageiros também terão acesso a 86 novos pontos de wifi gratuito por 60 minutos e 12 fraldários. Há ainda a previsão de construção de sete mil metros quadrados de área VIP. O terminal I, que é o mais antigo, teve parte renovada e deve passar por mudanças nos próximos anos para ficar à altura do novo terminal II.

A sociedade do RioGaleão é formada pela Odebrecht Transport, a Changi Airports International - com 51%  da sociedade – e a Infraero - com 49%. Rocha afirmou que as investigações da Operação Lava Jato não interferem em nada nas obras, apesar de a Odebretch, uma das investigadas pela Polícia Federal, ser a responsável pelas obras do terminal.

O novo edifício garagem, conectado ao Terminal II, já está com os sete andares praticamente concluídos e vai ofertar 2,7 mil novas vagas de carros, com sistema indicador de vagas, a partir do final do ano.

No Aeroporto será implantando novo sistema de segurança 24 horas, para assegurar tranquilidade durante as Olimpíadas. “Teremos novas câmeras, cercas, fechamento de todo o perímetro do aeroporto; com a presença dos órgãos públicos responsáveis pela segurança na cidade”.

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

mlqwKB