04/08/2015 (20:08)

Descobertas tocas de preguiças gigantes na Amazônia brasileira

Animais de grande porte, com mais de 5 metros der altura, escavaram um túnel de aproximadamente 100 metros de comprimento. Isso ocorreu há mais de 10 mil anos na região de Ponta do Abunã, em Rondônia (Brasil). Marcas de garra dos animais ainda podem ser observadas, conforme o relato do pesquisador, geólogo, Amílcar Adamy.

 

Para o geólogo, que atua em nome do Serviço Geolópico do Brasil, as espécies cuja datação exata ainda está para ser finalizada, eram preguiças gigantes da Amazônia.  “Não temos na fauna atual da região, nenhum animal capaz desse tipo de escavação”, explicou o geólogo. Moradores que habitam o local, costumam asbrigar-se das chuvas e até repousar ali, em determinadas circunstânias. Esses ambientes são muito conhecidos dos habitantes de Abunã.

Desde 2010 essas paleotocas vinham sendo observadas pelos pesquisadores, atraídos pelas dimensões circulares e semicirculares, numerosos túneis interligados. “É possível ficar em pé lá dentro e circular livremente, somente em algumas partes é preciso se abaixar para passar”. Só foi possível concluir agora, com a experiência com esse tipo de construção, dos estudiosos da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e da Universidade Estadual Paulista que analisaram paleotocas no sul e sudeste dos País.

Trabalho de paleontólogos seguirá procurando evidências fósseis dos antigos viventes do local e se há outras construções semelhantes.

A pesquisa na região faz parte do Projeto Geodiversidade de Rondônia, que busca identificar sítios geoturísticos que podem contribuir com o desenvolvimento econômico do estado ao favorecer o turismo em bases sustentáveis. Segundo Adamy, ainda não há previsão de data para a abertura da caverna à visitação.

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

Tdakqk