06/08/2014 (12:14)

Indústria do papel quer redução de impostos para avançar

Redução da carga tributária é uma prioridade entre os pedidos que defende a indústria papeleira do Brasil. Setor está procurando incentivos fiscais, apoio às ações para o desenvolvimento sustentável, jornada de trabalho de 40 horas e fim da terceirização. Reivindicações foram expostas em audiência pública realizada (140805) na Câmara dos Deputados.

 

Jeronimo José Garcia, presidente do Sindicato das Indústrias de Papeis (SIP), deu exemplo de algumas dificuldades que devem ser enfrentadas, como a alta carga tributária que incide sobre o setor. "A carga tributária prejudica as empresas diretamente. Um dos problemas que nós temos é a desoneração de folha, que não é uma medida permanente, é provisória. E isso, é óbvio, de alguma maneira acaba refletido no custo da mão de obra".


Ozano Pereira da Silva, presidente da Federação dos Trabalhadores da Indústria do Papel, Papelão e Cortiça do Estado de São Paulo, disse que a categoria é contra a terceirização do trabalho. A redução da jornada de trabalho é a principal bandeira do setor.


Ozano afirma que "a prioridade do setor é unificar as 40 horas semanais. Nós queremos também priorizar o setor de papel celulose, para acabar com a terceirização. O seguimento não precisa terceirizar. Porque terceirizar, para nós, é 'precarizar'. Nesse segmento, não há lugar para escravizar o trabalhador".

 

1 comentário para a notícia

Avatar

Rose Messias

06/08/2014 às 14:15

Esta notícia é bem importante, principalmente para nós, moradores de Telêmaco Borba, onde grande parte da economia gira em torno de uma das maiores indústrias papeleiras.

Comente esta notícia 

 

YRteb6