25/10/2013 (19:53)

Explosões solares mais intensas expelem ventos de 450 km por segundo

Interferência em rádio-telecomunicações, nas trajetórias dos satélites artificiais, em linhas de potência e mesmo na aurora boreal, são consequências maiores já esperadas na terra por causa das explosões solares que estão chegando ao máximo no período de 11 anos. Atual ciclo foi iniciado em fevereiro de 2011. Explosões prejudicam celulares.

 

Algum tempo depois das eclosões, os recursos técnicos feitos pelo homem na Terra conseguem perceber partículas carregadas de calor e luz, que viajam pelo universo desde o Sol a uma velocidade superior a 450 quilômetros (km) por segundo. As variações no vento solar estão associadas às variações nas atividades das manchas solares e nas erupções de labaredas na superfície do Sol, também conhecidas como flares.


Para a NASA ocorreram a 24 de outubro, por volta das 8 horas da manhã em Brasília (Brasil), pelo menos 3 gigantescas explosões no Sol. Técnicos explicarasm que são "potentes explosões de radiação". Se conseguissem atravessar a camada atmosférica que protege a Terra, seriam prejudiciais aos seres humanos e todos os animais.

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

pWszgX