16/08/2013 (21:17)

Frutas e Verduras De São Paulo, Apresentam 40% De Agrotóxicos

Pelo menos 40% dos hortifrutis comercializados em São Paulo, apresentam algum resíduo de agrotóxicos. Análises foram feitas pela PROTESTE em setembro.

 


Recentemente, foram encontrados produtos químicos em excesso em 28% dos vegetais analisados pelo Programa de Análise de Resíduos de Agrotóxicos de Alimentos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

O campeão de irregularidades na avaliação da ANVISA foi o pimentão: 92% das amostras foram consideradas insatisfatórias. Já o teste da PROTESTE detectou que 63% das amostras de uva analisadas continham resíduos de pesticidas. Foram analisadas 8 amostras, e 5 delas apresentavam resíduo de pesticidas (63%). Dessas, duas apresentavam resíduo permitido para a cultura e em valores abaixo do limite e três apresentavam resíduos de pesticidas não aprovados para a cultura.

Dos 34 alimentos não orgânicos, 15 continham resíduos. As análises foram feitas em amostras de alface, couve, pimentão e uva comprados na cidade de São Paulo. Dos 6 alimentos orgânicos avaliados pela PROTESTE, um teve problemas. Foi a couve orgânica da marca Taeq, vendida na loja do Pão de Açúcar da Vila Mariana, em São Paulo, onde detectou-se o produto Ditiocarbamatos acima do limite permitido (86,8 mg/kg).

Mas a contaminação da couve orgânica pode ter sido pontual. Isso porque foram refeitos o teste com duas outras amostras de couve orgânica Taeq, e não foram mais encontrados resíduos químicos. Na avaliação da PROTESTE é inaceitável que quase um terço dos vegetais mais consumidos pelos brasileiros apresente resíduos de agrotóxicos em níveis inaceitáveis.

Dos 50 princípios ativos mais usados em agrotóxicos no Brasil, 20 já foram banidos na União Europeia. O endossulfan, achado no pimentão, já não é usado nos EUA e na China, por exemplo. Ele foi reavaliado pela Anvisa em 2010 e terá que ser banido do país até 2013. Foram analisadas pela PROTESTE nove amostras de pimentão, duas de pimentão orgânico, oito de uva, oito de couve, duas de couve orgânica, nove de alface e duas de alface orgânica em supermercados variados da cidade de São Paulo, para verificar a presença de resíduos de pesticidas nos alimentos.

No total foram verificados se havia presença de 294 diferentes tipos da substância. Diferente do teste similar realizado em 2008 também pela PROTESTE, este ano não foram encontrados vestígios de DDT, BHC e nenhuma das outras substâncias cancerígenas proibidas pela legislação brasileira.

Os outros alimentos mais problemáticos na análises da Anvisa foram o morango e o pepino, com 63% e 57% de amostras com agrotóxicos além do permitido ou não autorizados, respectivamente. Os agrotóxicos são usados para controlar a incidência de pragas. Os dois problemas detectados na análise das amostras pela Anvisa foram: teores de resíduos de agrotóxicos acima do permitido e o uso de agrotóxicos não autorizados para estas culturas.

A alface e a cenoura também apresentaram elevados índices de contaminação por agrotóxicos. Em 55% das amostras de alface foram encontradas irregularidades. Já na cenoura, o índice foi de 50%. Na beterraba, no abacaxi, na couve e no mamão foram verificadas irregularidades em cerca de 30% das amostras analisadas. Só nas batatas não houve problemas.


 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

WkLCVr