25/06/2009 (10:02)

Pesquisador Pede Políticas Públicas Contra Violência nas Escolas

Políticas públicas para enfrentrar o problema da violência e da indisciplina em escolas do Brasil, é o apelo que fez o pesquisador Renato Alves.

 

Como responsável pelo Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (USP), sugeriu que toda a comunidade deve ser convidada a pensar em soluções. Entende que a construção de uma cultura de paz e de direitos implica a abertura do diálogo e o respeito às diferenças.

Veja o que ensina o pesquisador. "Quando se discute o assunto com a própria comunidade, você vai ensinando os mecanismos legítimos para enfrentar a violência. Não precisa ser o confronto entre as pessoas. Existem outros tipos de mecanismos que muitas vezes elas não conhecem. E os gestores públicos precisam conhecer a realidade local".

Estratégia


Desde 2008, o combate à violência em escolas de 13 cidades brasileiras, como Barretos (SP), passa pelo ensino de uma cultura de paz, adotada em disciplinas específicas ou em projetos educacionais mais amplos.

João Roberto Araújo, diretor do projeto Paz nas Escolas, ressaltou que crianças e jovens precisam aprender a lidar com emoções como raiva e ciúme. "A premissa é a de que a violência na escola decorre da violência na sociedade. Portanto, devemos ir além de só pensar na repressão e em ações sociais. É preciso atuar num terceiro eixo, que é fazer a alfabetização emocional, a educação para as emoções".

Assunto violência nas escolas foi colocado na Câmara Federal em audiência pública da Comissão de Educação. Foi sugerido pelo deputado Jorginho Maluly (DEM-SP) à presidente deputada Maria do Rosário (PT-RS).

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

wpxguz