28/12/2016 (21:07)

Viagens de Trem Pela Serra do Mar, Mostram Maravilhas Naturais

Maravilhas da engenharia ferroviária do século passado e anterior, podem ser vistas quando se desce a Serra do Mar por trens normais ou litorina. Trens partem de uma altitude de 908 metros e serpenteiam as montanhas para chegar a hsitóricas cidades de Morretes, Antonina e Paranaguá, ao nível do mar.

 

No trajeto é possível apreciar a vegetação e exemplares da fauna que povoam esse trecho preservado da Mata Atlântica, no Estado do Paraná, sul do Brasil.

A composição se conduz pela centenária estrada de ferro Paranaguá - Morretes - Curitiba, com 108 quilômetros de extensão e 119 anos de história. O trajeto percorre 13 túneis escavados em granito, 30 pontes metálicas e viadutos, que integram essa obra prima da engenharia, descortinando altas montanhas e precipícios.

Referências mais expressivas são, os 55 metros da ponte sobre o rio São João,

na extensão de 110 metros. Este passeio, hoje servido pelos veículos do Serra

Verde Express, mostra que gente de todo o mundo já conhece esse caminho.

E faz a indicação para outros turistas. Isso é possível observar durante as

viagens pela variedade de idiomas praticados.

Até Morretes percorre-se cerca de 70 quilômetros, num trecho que atravessa a área de mananciais dos municípios de Pinhais e Piraquara e ingressa na maior área de floresta Atlântica do país. Em meio a arbustos de hortênsias, lírios e beijinhos, chega-se a um dos maiores reservatórios de água doce do Sul do Brasil.

Serpenteando ao lado do rio Ipiranga, a ferrovia chega à represa de mesmo nome e, depois, descortina a baía de Paranaguá. Nesse trecho, cascatas e cachoeiras, como a Véu de Noiva, enchem os olhos do turista. Em cada vagão o visitante é recebido por guias de turismo (que, quando solicitado antecipadamente, podem ser bilíngües).

REVITALIZAÇÃO

Tanto na litorina (veículo com motorização própria, ar refrigerado, janelas panorâmicas e som ambiente) quanto em vagões de trem das classes executiva, turística e convencional, há serviço de bordo com refrigerante e salgadinho. Só os vagões da classe popular não contam com serviço de bordo. Brasil reativa roteiros de trens de turismo com privatização que ainda não deu certo no Brasil, muitas linhas férreas de interesse turística acabaram encerrando ou reduzindo atividades.

Um projeto de reativação em andamento, está orçado em US$ 70 milhões. Prevê a reforma de 15 das 32 estações, a substituição de trilhos e a aquisição de locomotivas e vagões. Reativar os trens turísticos em diversas localidades do país, é um plano que o Governo do Brasil quer concluir nos próximos meses. Para avaliar a situação e definir reabertura de destinos, uma equipe interministerial já está formada. São técnicos dos ministérios do Turismo, dos Transportes, do Meio Ambiente e também da Cultura.

A revitalização da malha ferroviária para o transporte de passageiros e implementação dos caminhos turísticos, está sendo analisada. Ministério do Turismo diz que 19 estados já apresentaram demandas. Constatada a viabilidade do projeto, o grupo vai buscar empreendedores para a reativação dos trens turísticos.

No Mato Grosso, há o Trem do Pantanal. O Trem Verde Pantaneiro, como é denominado, começou a funcionar em 1941, mas há 8 anos está operando somente para o transporte de cargas.

Informações sobre ferrovias turísticas, podem ser enviadas pelo e-mail: noticiario@noticiario.com.br.

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

Dpj7NL