18/12/2018 (21:41)

NASA cede imagens de satélite para observar condição da Terra

Inspecionar o estágio de conservação ou degradação de geleiras e florestas, como a Amazônica, é o benefício que qualquer cidadão do mundo pode aproveitar do "Collect Earth Online,". Trata-se de um portal que dá acesso ao uso da Terra, alimentado pela NASA (Agência Espacial Norte-Americana) que opera imagens de satélites. É uma parceria com a FAO.

 

Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura é a FAO, organismo das Nações Unidas que estimula o uso para que também estudiosos possam aproveirtar imagens de alta resolução, produzidas por múltiplas fontes, além de imagens e mosaicos de fotografias, históricos das redes de satélite da NASA e da União Europeia.

“Essa inovação permite a coleta de dados atualizados sobre nosso meio ambiente e suas mudanças, de uma maneira mais eficiente e participativa, usando os especialistas locais que conhecem a paisagem e a ecologia subsistente”, explicou Mette Wilki, chefe de Políticas e Recursos da Divisão de Silvicultura da FAO. “Ela nos ajuda a obter e ampliar (as aplicações de) informações práticas em um momento no qual os desafios ambientais estão assumindo uma importância urgente e sem precedentes.”

 

Dan Irwin, da NASA, explica que o portal “explora 40 anos de dados

de satélites e pode ajudar países em todo o mundo a mapear e monitorar

suas florestas”. Especialista gerencia o projeto SERVIR, que desenvolve

tecnologias geoespaciais de ponta para melhorar os processos decisórios

sobre questões ambientais em países em desenvolvimento. A iniciativa é

implementada pela NASA em parceria com a Agência dos Estados Unidos

para o Desenvolvimento Internacional (USAID). 

 

No início de 2019, o Collect Earth Online deverá ser integrado ao Sistema de Acesso, Processamento e Análise de Dados de Observação da Terra para o Monitoramento de terras (SEPAL). Esse outro projeto é uma plataforma da FAO baseada na nuvem. Com a articulação das duas iniciativas, será mais fácil utilizar dados na criação de mapas.

Em 2019, o portal da FAO e da NASA também fará parte da TimeSync, uma ferramenta de visualização por satélite criada pela Universidade do Estado do Oregon e o Serviço Florestal dos Estados Unidos.

De acordo com a agência da ONU, uma vez operando na capacidade plena, o Collect Earth terá novas funcionalidades, como a gestão de desastres e o monitoramento glacial. Por ser baseado na nuvem e ter código aberto, o sistema conseguirá ampliar o acesso ao monitoramento por satélite e prevenir perdas de dados — um ganho significativo quando recursos digitais e computacionais são limitados.

Isso traz perspectivas promissoras para

empreitadas que vão desde tentar proteger

o habitat natural da vida silvestre até projetos

mais amplos que, por exemplo, mensuram

os vínculos entre pobreza e biomassa,

completou o organismo internacional.

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

c1tZBO