12/10/2018 (19:54)

Mundo deve comemorar libertação de 833 crianças-soldados na Nigéria

Na localidade de Maiduguri, nordeste da Nigéria, foram libertadas 833 crianças que haviam sido apreendidas pelo grupo terrorista Boko Haram. Típico da maldade do submundo dos conflitos, as crianças são usadas como soldados para enfrentar situações em que ficam expostas à morte e inutilizadas à vida. Anúncio foi feito pelo UNICF.

 

Libertação foi conquistada pelas Forças Conjuntas Civis (CJTF), criadas em 2013 para proteção das comunidades locais contra os ataques do Boko Haram. Também recrutou crianças, mas mesmo assim atuou em operações de segurança e defesa de campos de refugiados. Na continuidade das ações, acabou libertando os pequenos soldados e passou a atuar para impedir recrutamentos.

Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) tem o compromisso das

Forças Civis para nunca mais realizar esse tipo de requisição. Apesar dos 833

libertados, são identificados 1.175 meninos e 294 meninas que contyinuam

associados às CJTF. É o que diz o UNICEF que assumiu compromisso em dar

apoio às autoridades nigerianas para a reinserção e reabilitação dos garotos e garotas.

Essa é a primeira libertação formal por parte do CJTF desde a assinatura de um pedido no qual se comprometia a terminar o recrutamento de crianças-soldado, em setembro de 2017, após a publicação de um relatório do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres.

"Trata-se de um marco importante para acabar com o recrutamento e a utilização de crianças, mas muitas outras permanecem em outros grupos armados de combate ou de apoio", lamentou Pernille Ironside, a representante adjunta do Unicef na Nigéria.

 

 

 

 

 

 

 

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

yiRolc