04/10/2018 (22:14)

Horário de verão é contestado desde o início

Não proporciona economia porque as pessoas levantam com o escuro e já gastam energia; prejudicam a saúde do trabalhador e a vida no campo, causa transtornos ao metabolismo do corpo humano. São algumas alegações dos que contestam o horário de verão adotado no Brasil desde a década de quarenta. Contra essas contestações o Governo fala de lucros.

 

Na Câmara Federal há vários projetos que discutem a validade do horário de verão. Todo ano a discussão retorna mas sem êxito e a medida é lançada pelos administradores. Mas o País precisa de economizar no consumo de energia, que devido à mudança climática e à destruição de florestas, tem produção limitada. E não resta dúvida de que é a opção por energias alternativas, a solução buscada e já em andamento pelo aproveitamento do sol, ventos e bioenergia.

No período de execução o horário de verão permite economizar em torno de 5% da energia. Segundo os técnicos, isso leva à redução de gastos na ordem superior a 60% em cidades de porte maior como São Paulo e Rio de Janeiro. Período de maior consumo é entre 18 e 21 horas.

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

row5jU