27/07/2018 (21:51)

Novo eclipse total da lua só em janeiro de 2019

Ver o eclipse total da Lua será possível nos dias 20 e 21 de janeiro de 2019. Será a oportunidade para os habitantes da Terra que por algum motivo não conseguiram observar a edição de 27 de julho de 2018. fenômeno é considerado relativamente comum na evolução dos planetas e em cada edição é renovada pelo colorido dos astros que se alinham no céu.

 

180726 - 20:22 horas

Maior eclipse da Lua será pouco visto pelos brasileiros

Porque ocorre dia 27 de julho de 2018, antes de anoitecer, o maior eclipse total da Lua no século XXI não será visto pelos brasileiros nos 104 minutos de duração. Na fase total, que acaba 18:13 horas, só verão os habitantes das regiões sul, sudeste e nordeste. Eclipse é um fenômeno que acontece quando ficam alinhados os planetas Sol, Terra e Lua

Olhe esta explicação de Josina Nascimento, pesquisadoraa do Observatório Nacional: "o Sol, iluminando a Terra, faz uma sombra no espaço em duas partes: a penumbra, que ainda revela raios do Sol, e a umbra que não recebe qualquer feixe de luz. Quando a Lua, caminhando em torno da Terra, penetra totalmente na sombra escura, temos o eclipse total”.

No Brasil, em toda a parte leste do país, a Lua já vai nascer na fase total do eclipse, fase que termina às 18h13, no horário de Brasília. A partir desse horário, a Lua começa a sair da sombra mais escura da Terra [umbra], iniciando o eclipse parcial, que dura até 19h19. O fenômeno completo, que inclui a fase penumbral do eclipse, termina às 20h29.

Estudiosa chama atenção para a coloração inédita que surgirá no horizonte: um efeito laranja avermelhado que dá nome à Lua de Sangue, provocado durante o eclipse total. essa tonalidade "é causada pelos raios de sol passando a atmosfera. Ou seja, mesmo sem ver o Sol, ainda recebe um pouco dessa luz. Os tons vermelhos são os menos filtrados e acabam se destacando mais. O mesmo acontece no eclipse total da Lua. Quando está totalmente na umbra [sombra mais escura da Terra] fica escura mas ainda. À Lua chegam os raios solares que passam pela atmosfera da Terra e, então, essa tonalidade”.

Por consequência desses raios luminosos, outros planetas irão se tornar mais aparentes. Marte, sem dúvida, merecerá o destaque por estar, desde o início do ano, com brilho máximo. Será um ponto vermelho ao lado da Lua. O pico desse efeito está previsto para o dia 3 de agosto, mas já é impossível ignorar a presença desse planeta visto a olhos nus. “Júpiter também estará no alto. Vênus está a oeste e Saturno estará entre Marte e Júpiter, na mesma linha, também muito brilhante mas menos que Marte.”

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

QI6uTf