23/07/2018 (20:36)

Brasil vai produzir 58,04 milhões de sacas de café em 2018

Será de 58,04 milhões de sacas de 60 quilos (kg) a produção de café do Brasil em 2018. É indicação do segundo levantamento feito pela CONAB, que indica ser de 160 milhões de sacas no mundo. Estão cultivados 1,88 milhões de hectares no território brasileiro, com produtividade média de 30,86 sacas por hectare. Produtividade será aumentada.

 

A produção da espécie arábica no

País atingirá o volume de 44,33 milhões de sacas e a produção mundial desse tipo de

café 97,43 milhões de sacas. Em relação à produção de café conilon, a safra será de

13,71 milhões de sacas no Brasil e de 62,24 milhões de sacas em nível mundial. Para

fins de comparação da produção brasileira com a mundial, foi considerado o ano cafeeiro

da Organização Internacional do Café – OIC, o qual corresponde ao período de outubro a setembro.

No território nacional, a área da cafeicultura que está em produção em 2018 é de 1,88 milhão de hectares, que terão produtividade média recorde de 30,86 sacas por hectare, considerando a estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento – Conab constante do 2° Levantamento da Safra de Café de 2018 - maio 2018, o qual está disponível na íntegra no Observatório do Café do Consórcio Pesquisa Café, coordenado pela Embrapa Café. Para a Conab, atribui-se esse recorde de produtividade ao “ciclo de alta bienalidade, sobretudo em lavouras da espécie arábica, às condições climáticas favoráveis e à melhoria do pacote tecnológico, principalmente de variedades mais produtivas”. A bienalidade, no caso, é um fenômeno da cafeicultura que alterna produtividade menor em um ano com maior no ano seguinte.

Especificamente em relação ao aumento de produtividade da safra de 2018, a Conab em suas análises aponta para o café conilon que “(...) Em praticamente todos os estados onde predomina o cultivo de conilon, a expectativa é de produtividades superiores à safra anterior em razão das melhores condições climáticas durante o desenvolvimento das lavouras”. E, quanto ao café arábica, que essa “(...) espécie mais influenciada pelo ciclo bienal, entrará este ano num novo ano de bienalidade positiva. (...) Isso é uma característica natural dessa cultura perene, ocasionada pelo esgotamento da planta, uma vez que no ano negativo ela se recupera para produzir melhor no ano subsequente. A estimativa é que a produtividade atinja 29,45 scs/ha, aumento de 27,4%”, em relação ao ano anterior.

Em relação ao volume da produção brasileira, o ranking dos 6 maiores estados

produtores em 2018, em ordem decrescente, é o seguinte: Minas Gerais, em

primeiro lugar, com 30,7 milhões de sacas, corresponde a 53% da produção;

Espírito Santo, em segundo, com 12,81 milhões de sacas (22%); São Paulo,

em seguida, com 6,07 milhões de sacas (10%); Bahia, 4,50 milhões de sacas

(8%), Rondônia, 2,19 milhões de sacas (4%) e Paraná, sexto Estado produtor,

com 2%, produz 1,05 milhão de sacas.

No contexto da produção mundial, com base nos números ora em destaque da Conab em relação ao Brasil, e os números da OIC para os demais principais países produtores, tem-se o seguinte ranking: Brasil, em primeiro lugar, com 58 milhões de sacas, 36% do total produzido; Vietnã, em segundo lugar, com 29,5 milhões de sacas e 18% da produção global; Colômbia, em terceiro, com 14 milhões de sacas (9%); Indonésia, quarto, com 12 milhões de sacas (8%); Honduras, na sequência com 8,3 milhões de sacas (5%); e Etiópia, sexto colocado, com 7,7 milhões de sacas que correspondem a 5% da produção global. Acesse os dados da produção de café em nível mundial divulgados pela  OIC na página Dados Históricos.

Os dados da OIC, que constam do Relatório sobre o mercado de Café Abril - 2018, destacam que o consumo mundial neste ano cafeeiro será de 159,92 milhões de sacas e superará a produção (159,66) em aproximadamente 254 mil sacas. Com base nesses números da performance da cafeicultura é possível verificar que mais de 1/3 do café consumido no mundo é produzido no território nacional (36,2%).

Levantamento da Safra de Café - A Conab realiza quatro levantamentos da safra de café a cada ano. O primeiro, objeto desta divulgação, é feito nos meses de novembro e dezembro e divulgado em janeiro, e retrata o período pós-florada do cafeeiro. O segundo, realizado e divulgado no mês de maio, representa o período de pré-colheita. O terceiro, realizado em agosto e divulgado em setembro, compreende o período de plena colheita no País. O quarto levantamento, realizado e divulgado em dezembro, compreende o período de pós-colheita, momento em que são corrigidos e consolidados todos os dados obtidos no campo

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

ItaME8