12/05/2018 (20:43)

Campanha ensina higienização das mãos para evitar infecções

Porque cerca de 70% dos profissionais de saúde e 50% das equipes cirúrgicas não praticam rotineiramente a higienização das mãos, está no mundo a campanha “Está em suas mãos prevenir a sepse na assistência à saúde”. Organização Mundial da Saúde (OMS). Instruções de como se faz a fricção anti-séptica e a higienização das mãos, estão aqui mostradas.

 

Campanha da OMS aborda prevenção de infecções por meio da higienização das mãos. Imagem: OMSCampanha ensina higienizar as mães. Imagem da OMS

Campanha para prevenir infecções em ambientes hospitalares é voltada para profissionais de saúde. Lembra os principais momentos em que clínicos, enfermeiros e auxiliares devem realizar procedimentos de assepsia a fim de evitar a transmissão de agentes patogênicos.

A sepse é uma disfunção orgânica fatal, causada por uma resposta

desregulada do corpo a uma infecção. Se não for reconhecida

precocemente e tratada com rapidez, pode levar ao

choque séptico, falência múltipla de órgãos e morte.

 

OMS chama atenção para 5 ocasiões em que procedimentos de limpeza são indispensáveis:

  • Antes de contato com um paciente;
  • Antes da realização de procedimentos assépticos;
  • Após risco de exposição a fluidos corporais;
  • Após contato com um paciente;
  • Após contato com as áreas próximas ao paciente.

De acordo com as Diretrizes da OMS sobre Higienização das Mãos em Serviços de Saúde, antes de tocar o paciente e de realizar qualquer procedimento asséptico, é importante que o profissional lave adequadamente as mãos para evitar a transmissão de micro-organismos que podem causar infecções.

Instruções divulgadas pela OMS para promover higienização das mãos em serviços de saúde. Imagem: Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS)/OMSInstruções divulgadas pela OMS para promover higienização das mãos em serviços de saúde. Imagem: Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS)/OMS "

 

A higienização também é fundamental após o contato com as pessoas atendidas, inclusive depois de remover as luvas. O profissional deve lavar as mãos mesmo que tenha tocado apenas as superfícies, mobília e objetos próximos ao paciente, assim como ao sair do ambiente de assistência.

Estudos demonstraram que a prática de lavagem e assepsia das mãos, quando realizada constantemente, reduz as infecções associadas aos cuidados de saúde. As recomendações da OMS são baseadas em evidências científicas e foram testadas em campo. As orientações foram elaboradas de modo a facilitar seu aprendizado e garantir sua aplicação em diferentes contextos.

 

1 comentário para a notícia

Avatar

Rose Messias dos Santos

14/05/2018 às 08:18

Precisamos aprender a higienizar nossas mãos e também a cobrar dos profissionais de saúde esse procedimento.

Comente esta notícia 

 

aeKCZV