08/05/2018 (16:00)

Previna-se contra pressão alta que afeta 36 milhões no Brasil

Pelo menos 36 milhões de brasileiros adultos sofrem de pressão alta ou "hipertensão arterial". Isso significa o elevado porcentual de 32,5%, dos quais 60% são pessoas idosas. Campanha de medição vem sendo realizada em São Paulo e mostra que do total de afetados 50% morrem desse mal. Diz o Ministério da Saúde que 1 em cada 5 são hipertensos.

 

Roberto Kalil Filho, diretor do Centro de Cardiologia do Hospital Sírio-Libanês, explicou que 20% das pessoas diagnosticadas com pressão alta, não se tratam. “A hipertensão arterial é uma doença silenciosa, pois não causa sintomas e é progressiva. Atinge homens e mulheres e 32,5% dos brasileiros sofrem com ela”, explica a enfermeira Grazia Guerra, coordenadora da campanha.

Especialistas relacionaram que entre os fatores de risco para a hipertensão arterial,

encontram-se: envelhecimento da população, obesidade, consumo excessivo de sal,

sedentarismo e o uso abusivo de bebida alcoólica e drogas. A melhor forma de combater

a doença, além da utilização de medicação adequada, é adotar hábitos saudáveis,

alimentação rica em frutas, oleaginosas e sais minerais, além da prática de exercícios físicos.

Para alertar a população dos riscos da pressão alta, a Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH) está realizando a campanha "Meça sua Pressão". Esforço é para informar e orientar sobre a importância de fazer a aferição regular da pressão arterial e prevenir a doença.

 

São consideradas hipertensas pessoas

com pressão arterial maior que 140/90

mmHg, mas, de acordo com a nova

diretriz americana, esse parâmetro

já baixou para 130/80 mmHg.

 

Haverá ainda uma ação conjunta com o Departamento de Hipertensão Arterial da Sociedade Brasileira de Cardiologia, representante brasileiro para a ação MMM-18 da Sociedade Internacional de Hipertensão. Em termos globais, a campanha visa medir a pressão arterial de cerca de 25 milhões de pessoas durante o mês de maio, dedicado mundialmente à hipertensão arterial (edia 26 de abril é dedicado à Hipertensão Arterial).

Oficinas de saúde

“Teremos diversas oficinas para esclarecer os cidadãos. A da enfermagem fará a medição da pressão e reforçará às pessoas a importância de ter regularmente a pressão aferida por um profissional de saúde. As nutricionistas vão abordar a alimentação saudável e mudança de hábitos à mesa, enquanto os professores de educação física mostrarão a relevância da atividade física. Haverá ainda psicólogos que orientarão sobre como lidar melhor com o estresse e, para que aqueles que já estão hipertensos, a aceitar o diagnóstico e o tratamento, que permite uma vida normal”, adianta o diretor científico da SBH, Luiz Bortolotto.

A campanha se estende até 17 de maio. Nesse período serão divulgados vídeos na Linha Amarela do metrô sobre a importância de medir a pressão arterial e a prevenção. Além disso, médicos de todo o país vão ser estimulados a aferir e registrar a pressão arterial dos seus pacientes.

 

Roberta Saretta, médico, explicou que a hipertensão é multifatorial, o que eleva em

torno de 30% o risco de qualquer pessoa ser hipertensa. “Isso tendo uma vida

regrada, sendo magro, fazendo exercícios, com uma qualidade de vida adequada,

dieta equilibrada, essa chance é de 30%. Porém, se a gente ajuda o meio ambiente

no sentido negativo, ou seja, se não faz atividade física, está com excesso de peso,

tem alimentação com excesso de sal, fuma, não tem sono adequado,

então isso incrementa enormemente o risco [de ser hipertenso]”, adverte.

A cardiologista Amanda Gonzales Rodrigues lembrou que o exercício físico é fundamental para combater a hipertensão. “Os números mostram que a prevalência de hipertensão nos últimos 10 anos aumentou 14%, de obesidade, 60%, e a prática de exercícios aumentou somente 7%. O exercício é uma das estratégias mais importantes tanto na prevenção quanto no tratamento.

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

rvBeFK