02/05/2018 (23:54)

Trânsito seguro a campanha de maio em todo o Brasil

Maio é o mês de mobilização pela redução de vítimas de trânsito. Coordenador da Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro lembra os 10 anos da Lei Seca e os avanços obtidos nesse período. A quinta edição do “Maio Amarelo” foi lançada (180502). No mês de mobilização pela redução de vítimas de trânsito, o Congresso terá iluminação especial.

 

 

 
Alex Ferreira / Câmara dos Deputados
Campanha internacional “Maio Amarelo” em defesa do trânsito
Iluminação do Congresso marca "Maio Amarelo"

"Nós somos o trânsito" é o lema da campanha de 2018. Quer conscientizar sobre a importância da participação de todos em prol da segurança viária: órgãos e agentes de fiscalização, motoristas, motociclistas, ciclistas e pedestres.

O coordenador da Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro, deputado Hugo Leal (PSD-RJ), lembra que a Lei Seca completa 10 anos em junho e nesse tempo, além da redução do número de mortes, houve a conscientização de toda uma geração de motoristas. “Essa geração que tem 18, 20 anos já tem a cabeça modificada, já tem a perspectiva de beber e não dirigir”, destacou.



Campanha


Carlos Alberto Spies, superintendente de trânsito do Departamento de Estradas e Rodagem do Distrito Federal, explicou que a campanha é coordenada pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), com a participação de todos os órgãos de trânsito.

Ao longo de maio, ações educativas e de fiscalização serão intensificadas para conscientizar a população, principalmente em relação ao uso de bebidas e entorpecentes pelos motoristas. “Para aqueles que insistem em dirigir sob o efeito de alguma bebida, a gente orienta: estaremos nas ruas fiscalizando. Precisamos reduzir o número de acidentes e trazer segurança para a população”.



Mortes


De acordo com a ONU, o Brasil ainda é o quinto País mais violento no trânsito,

com 234 mortes por ano a cada 100 mil veículos, atrás de Índia, China, Estados

Unidos e Rússia. Segundo a organização, quando os acidentes envolvem motocicletas,

o Brasil é o segundo com mais mortes, com cerca de 7 casos de óbito para cada 100

mil habitantes, perdendo apenas para o Paraguai, que tem 7,5 mortes para cada 100 mil habitantes.

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

qGJlH2