03/04/2018 (20:15)

Empresa e sociedade começam entendimentos sobre a água

Criação de marco regulatório brasileiro para a água envolvendo governos, setor privado e sociedade civil, é a principal recomendação do relatório final do Water Business Day, que condensa discussões do evento no Brasil (180318) durante as atividades do Fórum Mundial da Água, em Brasília (DF). De certa forma salva reuniões da ONU de pouco resultado

 

O documento defende que o escopo legal seja construído de forma coletiva e aumente a confiança entre empresas e sociedade, valorizando de forma transversal esse recurso natural e incentivando os investimentos de longo prazo.

O texto é resultado de três oficinas realizadas durante o evento e compostas por empresas e organizações, incluindo também as principais mensagens deixadas por palestrantes. No total, cerca de 250 representantes dos setores público e privado e terceiro setor participaram das atividades ao longo do dia.

Os esforços da Rede Brasil do Pacto Global, da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), responsáveis pelo diálogo entre as empresas, têm como objetivo fazer com que o Objetivo do Desenvolvimento Sustentável 6 (Água potável e saneamento) seja parte de uma linguagem comum compartilhada entre as empresas e sua rede de colaboradores. A intenção é ampliar a consciência sobre o uso e o manejo da água para todos os setores de produção da indústria.

Um dos setores responsáveis pelo maior consumo mundial de água (20%), a indústria também foi citada pelos palestrantes como parte da solução para as questões hídricas.

De acordo com eles, as companhias devem ampliar sua consciência sobre a gestão da água tanto para as operações internas quanto externas. No decorrer das dinâmicas dentro das oficinas, foram levantados os desafios futuros para as empresas, assim como fatores para o desenvolvimento de ambientes favoráveis capazes de possibilitar modelos inovadores de gestão.

As discussões passaram por três eixos temáticos: Caso da Água nos Negócios Circulares, que traçou barreiras e oportunidades para a circulação de ideias, propostas e bons exemplos de gestão hídrica no setor privado; Riscos – Medidas, Monitoramento e Relatório, que explorou os índices e instrumentos utilizados para monitorar e reportar questões relacionadas; e Gestão da Água para avançar nos ODS e criar um Valor Compartilhado, que buscou entender o papel da gestão corporativa da água no alcance do ODS 6.

Acesse aqui o documento na íntegra (em inglês)

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

EZBp8M