13/04/2018 (10:39)

Analfabetismo funcional afeta 73% da população brasileira

Analfabetismo funcional afeta 73% da população brasileira. É consequência da depressão cultural, da falta de leitura e da qualidade dos sistemas de bibliotecas por todo o País. Mas um dos motivos mais graves é o apego exagerado à tecnologia dos celulares e congêneres, que não incentivam o aprofundamento sobre temas da atualidade e literatura.

 

Professores de Português e Literatura em todos os níveis, reclamam desses obstáculos e

promovem o incentivo, mas os resultados são ainda precários. Estratégias de comunicação

que fazem o sucesso empresarial, atraindo milhões, não conseguem resolver o acesso. E

o resultado é a multidão alfabetizada, mas sem conhecer sobre assuntos aos quais ficam

expostos. Pode ser também consequência do

empobrecimento e até de parcela do desemprego de 13 milhões de trabalhadores.

Em março houve um debate em Brasília, com o envolvimento de especialistas que falaram justamente em aparelhar as bibliotecas como "centros de informação, transformadores da sociedade". Acusaram as escolas públicas de terem desarticulado e deteriorado os ambientes bibliotecários. Em Brasília há 100 escolas sem bibliotecas e outro tanto que as fecharam nos últimos anos (referência do deputado Professor Reginaldo Veras, PDT).

Mas esse quadro é nacional e com maior gravidade quando se chega ao interior. Por políticas culturaisx e de educação, enganosas, esses centros de difusão de conhecimento foram relegados a um plano secundário na estrutura educacional. Assim, até o mobiliário foi sendo deteriorado, seguido de escassez de recursos para aquisição de livros e material de leitura moderno para acompanhamento da evolução da tecnologia.

No modelo de Educação proposto pelo Governo, as referências a bibliotecas e centros de documentação ganhou referência mínima, mas foi lembrado. Justamente nas salas de aula está o desafio a ser enfrentado, que é a atração dos jovens, apegado aos celulares e jogos eletrônicos. Profissionais bibliotecários o Brasil tem; aqueles que para resolver os desafios impostos e o cumprimento da lei. Mas há muitos desempregados no segmento.

A despeito dessa "pequena" alusão ao plano de Governo para a questão dos centros de informação, todos os envolvidos e interessados numa disseminação cultural de qualidade, devem atuar politicamente. Está no Parlamento um meio de conseguir superar esse mal que qualifica a todos como "quase ignorantes".

 

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

u9Waat