18/12/2017 (19:50)

Corrupção desvia US$ 3,6 trilhões e fragiliza a sociedade mundial

US$ 1 trilhão por ano é quanto são desviados para subornar e cometer outras espécies criminosas. Essa ilicitude mundial se soma a US$ 2,6 trilhões roubados nas diversas esferas da vida socioeconômica. Está aí um quadro aproximado de prejuízos causados pelo crime em nome da corrupção, afetando a economia internacional na ordem de 5% do PIB.

 

Números são ofertados pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e

Crime (UNODC) e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento

(PNUD). pelo mundo os agentes fizeram apelo para que todos se unam à

campanha global de conscientização e combate à corrupção. Movimento é

impulsionado pela bandeira “Unidos contra a corrupção, para o desenvolvimento, a paz e a

segurança” incentiva os governos, setores privado e público a abordar conjuntamente com o mal.

Ao desenhar uma imagem sombria da situação, o diretor-executivo do UNODC, Yury Fedotov, afirmou: “a corrupção tem um impacto catastrófico nas sociedades, ela nega acesso de pessoas vulneráveis à infraestrutura e as condenam a viver em desigualdade”.

Ao observar que o crime acompanhou sucessivas gerações que abrange um número incontável de pessoas, Fedotov disse que “para que as pessoas sejam retiradas da pobreza e o crescimento econômico seja promovido, o mundo deve permanecer unido contra a corrupção”.

No entanto, alcançar esse objetivo requer o uso decidido de ferramentas mais adequadas: a adoção universal e a plena implementação da Convenção das Nações Unidas Contra a Corrupção.

No total, 183 Estados fazem parte dessa convenção. Ao enfatizar a necessidade de novos avanços nessa área, Fedotov afirmou que as parcerias anticorrupção estabelecidas com o setor privado, com a sociedade civil e com o setor acadêmico podem garantir que todos permaneçam unidos pelo fim desse crime.

A luta contra a corrupção é parte da Agenda 2030 para o Desenvolvimento

Sustentável. Clama por reduções substanciais da corrupção, como parte

dos esforços para construir sociedades pacíficas e inclusivas no âmbito do Objetivo 16.

As atividades que marcam o dia estão sendo realizadas por escritórios de campo do UNODC, organizações da sociedade civil, governos e indivíduos para aumentar a conscientização sobre o tema.

Os eventos que se concentram nos esforços anticorrupção vão desde reuniões com a imprensa a comemorações, como parte de um alcance público mais amplo.

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

tLT8j6