15/12/2017 (22:02)

Mudança no clima causa doenças e prejuízos de US$ 4 bilhões ao ano

Gastos anuais de US$ 4 bilhões com a proliferação de doenças no Brasil, é o que prevê a Organização Mundial da Saúde (OMS) com o avanço da deterioração do clima. Previu que entre 2030 e 2050 essas transformações serão responsáveis pela morte de 250 mil pessoas por malária, má nutrição, diarreia e calor. São as enchentes e secas prolongadas.

 

Regina Cavini, oficial sênior da ONU Meio Ambiente disse que “de vilarejos rurais até grandes cidades, todos já estão sofrendo com inundações, secas, ondas de calor mais frequentes, enchentes, entre outros (fenômenos). Tais episódios podem provocar um aumento na incidência de doenças e afetar a saúde das populações. Isso mostra que as mudanças do clima não são um assunto futuro, mas atual”.

Ainda segundo a OMS, entre 2030 e 2050, as mudanças climáticas causarão 250 mil mortes a mais do anualmente esperado por malária, má nutrição, diarreia e calor. Regina lembrou que problemas estruturais, como a ausência de saneamento básico e tratamento de água, agravam os desdobramentos das transformações do clima e impactos sobre a saúde, a exemplo do que ocorreu com as recentes epidemias de dengue, zika e chikungunya.

Para Joaquín Molina, o representante no Brasil da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), escritório regional da OMS,  as mudanças dos padrões climáticas exigirão planejamento e sistemas de atendimento mais robustos.

“As principais respostas para controlar os riscos da mudança climática para a saúde são a mitigação ou redução da influência humana no sistema climático e o desenvolvimento de políticas e programas de adaptação às mudanças climáticas, que busquem prevenir e reduzir, ao mínimo, os danos à saúde”.

Molina enfatizou que as repercussões são ainda maiores nos países de baixa renda, o que implica pensar em vulnerabilidades, disponibilidade de recursos humanos e estruturais, investimentos em gestão de riscos, capacitação técnica, fortalecimento dos sistemas de saúde e implementação de políticas e programas de saúde pública.

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

gFtNPq