12/12/2017 (18:50)

Banco Central prevê inflação de 2,9% em 2017 e faz projeções

Inflação de 2017 deverá ser ainda mais baixa do que a previsão de pouco mais de 3%. Banco Central, pelo COPOM está mostrando análise na qual acredita que o Brasil chegará dia 31 de dezembro com 2,9%. Para 2018 e 2019 já antecipa 4,2%. Dólar ficará em R$ 3,25.

 

Esta é a análise dos profissionais do Banco Central, que representa a realidade da economia brasileira e não uma simples conjeturação. Normalmente é desenvolvida pelos técnicos do COPOM - Comitê de Política Monetária, todos os meses alguns dias depois de concretizados os índices de inflação. Mas a edição de agora é a mais importante porque se refere ao encerramento do ano.

 

1. O conjunto dos indicadores de atividade econômica divulgados desde a última reunião do Copom mostra sinais compatíveis com a recuperação gradual da economia brasileira.

 

2. A economia segue operando com alto nível de ociosidade dos fatores de produção, refletido nos baixos índices de utilização da capacidade da indústria e, principalmente, na taxa de desemprego.

 

3. O cenário externo tem se mostrado favorável, na medida em que a atividade econômica global vem se recuperando sem pressionar em demasia as condições financeiras nas economias avançadas. Isso contribui para manter o apetite ao risco em relação a economias emergentes.

 

4. O cenário básico de inflação tem evoluído, em boa medida, conforme o esperado. O comportamento da inflação permanece favorável, com diversas medidas de inflação subjacente em níveis confortáveis ou baixos, inclusive os componentes mais sensíveis a ciclo econômico e à política monetária.

 

5. As expectativas de inflação apuradas pela pesquisa Focus recuaram para em torno de 3,0% para 2017. As projeções para 2018, 2019 e 2020 mantiveram-se em torno de 4,0%, 4,25% e 4,0%, respectivamente.

 

6. Para a trajetória de preços administrados, que compõe as projeções condicionais para a inflação produzidas pelo Copom, projeta-se variação de 8% em 2017, 4,9% em 2018 e 4,2% em 2019.

 

7. O cenário com trajetórias para as taxas de juros e câmbio extraídas da pesquisa Focus supõe, entre outras hipóteses, taxas de câmbio de R$3,25/US$ e R$3,30/US$ e R$3,37/US$ ao final de 2017, 2018 e de 2019, respectivamente, e taxas de juros de 7,00% ao ano (a.a.) ao final de 2017 e 2018, elevando-se para 8,00% ao longo de 2019.

 

8. Sob essas hipóteses, as projeções de inflação do Copom para 2017 e 2018 reduziram-se para aproximadamente 2,9% e 4,2%, respectivamente. Para 2019, as projeções permaneceram em torno de 4,2%.

 

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

uurYYH