07/02/2018 (22:05)

Raiva deve acabar até 2030, projeta a OMS

A maior iniciativa mundial de prevenção da raiva foi anunciada (170929), Dia Mundial de Combate à Raiva. A iniciativa pretende acabar com as mortes humanas causadas por raiva transmitida por cães, até 2030 e colocá-la na lista de doenças prioritárias para entidades internacionais e governos, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

 

“Plano garante o apoio aos países no desenvolvimento de planos nacionais e fornece ferramentas inovadoras de treinamento e educação em redes regionais de combate à raiva”, disse Bernadette Abela-Ridder em comunicado à imprensa, em nome da parceria ‘Unidos Contra a Raiva’.

A parceria é composta pela OMS, Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), Organização Mundial da Saúde Animal (OIE) e Aliança Global para o Controle da Raiva (Garc).

O objetivo da aliança é prevenir a raiva transmitida por cães,

focando na conscientização e na educação, reduzindo o risco

de raiva humana através da expansão de vacinas para cães e

melhorando o acesso a cuidados de saúde, medicamentos e

vacinas para populações em risco.

A iniciativa ‘Zero até 30: O Plano Estratégico’ centra-se na abordagem da ‘Saúde Única’, lidando com a doença de forma holística e intersetorial, destacando o importante papel desempenhado pelos serviços veterinários, de saúde e educacionais na prevenção e controle da raiva.

A raiva atinge mais de 150 países e territórios e geralmente é fatal uma vez que os sintomas aparecem. Cerca de 99% dos casos de raiva humana ocorreram por transmissão canina e estima-se que 59 mil pessoas morrem todos os anos pela doença. A raiva é 100% evitável, e o mundo tem o conhecimento, tecnologia e vacinas necessárias para a sua eliminação.

Ren Minghui, diretor-geral assistente da OMS para HIV/AIDS, tuberculose, malária e doenças tropicais negligenciadas, afirmou: “Trabalhar em vários setores para eliminar a raiva humana condiz com a missão da OMS de não deixar ninguém para trás, criando um futuro melhor e mais saudável para as pessoas no mundo todo”.

Explicando o entusiasmo da FAO em fazer parte do desenvolvimento da iniciativa, Ren Wang, diretor-geral assistente da agência da ONU, destacou: “As comunidades rurais sofrem mais com essa doença evitável. A raiva ameaça não só sua própria saúde e bem-estar, mas também a dos seus animais, que podem ser a principal ou única fonte de seus meios de subsistência”.

“A FAO vem apoiando as campanhas de vacinação e o desenvolvimento de programas comunitários para prevenir e eliminar a raiva. Esta nova iniciativa ampliará esse trabalho e pode desempenhar um papel essencial no objetivo geral da FAO de construir comunidades rurais mais fortes”, ressaltou Wang.

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

6YROQb