22/09/2017 (19:55)

Placa tectônica da África à Eurásia comprime a Itália: terremotos

Por que a Itália tem sido sacudida por 45 mil terremotos nos últimos anos? Explica o Instituto Nacional de Vulcanologia que essas perturbações geofísicas são provocadas pelo movimento tectônico da África e Eurásia, que se reflete através das profundezas do Mar Adriático e extremidades. Avanço da Terra está causando uma espécie de compressão.

 

Para os italianos esses fenômenos são despercebidos e so lembrados quando abalam comunidades como a de Amatizi, cujo terremoto teve epicentro em Roma. Habitantes do País não se martirizam imaginando qu7ando ocorrerá o grande movimento final, que pode engolir o País e áreas vizinhas.

A placa tectônica que os cientistas apontam, está avançando 2 centímetros (cm) todo

ano a partir das profundezas do solo africano. E o deslize como se fosse uma

gigantesca "tábua" é para o lado norte. Desta forma o mar abre pouco a pouco

entre a Sardenha, Córcega e o Continente. É aquela área que separa a

cordilheira dos Montes Apeninos, neste ponto já à média de 3 cm por ano.

 

Última ocorrência sísmica na região, deu-se em 21 de agosto de 2017 e atingiu a ilha de Ischia, a 35 quilômetros (km) de Nápoles. Os 1000 moradores tiveram de sair às pressas. Apesar de fraco (3.1 na escala de Richter), houve destruição quase total. Em junho de 2016, um abalo matou 300 pessoas em Amatricci. E outro terremoto fez vítimas e destruiu elementos históricos em agosto de 2016, na localidade de Nórcia, a 45 km de Áquila e 75 de Perúgia.

Mais recenetemente na história, o maior terremoto da Itália, ocorreu em 1908, com potencial de 7.2 na escala de Richter. matou 70 mil pessoas na cidade de Messina I(Sicilia). Depois houve outro em Avezzano, que vitimou 30 mil pessoas.

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

2pNHfB