26/08/2017 (20:17)

Lesões graves obrigam amputar asa de tucano salvo no Paraná

Graves lesões causadas e traumas intensos, obrigaram os veterinários da Rede de Proteção de Animais, em Curitiba, a proceder amputação da asa do tucano de bico verde, salvo0 há uma semana dos ataques de cães. Ave está se recuperando nas instalações do Passeio Público, da Prefeitura Municipal de Curitiba (PMC). Destino é viver em cativeiro.

 

Ave teve "dilaceramento de musculatura e fratura de radio e ulna". Trata-se de situação grave, mas o animal não corre mais risco de morrer. Agora são os cuidados que o manterão até ficar em situação de ser encaminhado para um local seguro. 

 

Informação é da bióloga Lucyenne Popp, responsável pela unidade municipal, cuja equipe está dedicando atenção ao pássaro por se tratar de emergência. Informa a médica veterinária que quando o tucano estiver plenamente recuperado, será entregue ao Instituto Ambiental do Paraná (IAP). A partir daí começa a procura de um mantenedouro de animais silvestres que abrigará o tucano do bico verde pelo resto da vida.

 

170822 - 23:55 horas

Jovem faz uma aventura para salvar tucano do bico verde

Um tucano do bico verde (Ramphastus dicolorus) foi salvo dos cães e de atropelamentos na rodovia. Estava com a asa esquerda completamente destruída pela ação de malfeitores, mas teve a sorte de encontrar uma alma boa e ambientalmente educada. Anderson Colombo fez de tudo para propiciar atendimento à ave em vias de extinção.

"Meus pais ensinaram-me que é preciso cuidar dos animais e dos seres humanos para que possam viver bem". Este foi o argumento que levou o jovem Anderson a enfrentar o frio e o tráfego pesado desde Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba, transportando um tucano do bico verde gravemente ferido para ser socorrido.

 

Durante mais de uma hora colocou a ave dentro de um paiol e dedicou

todo cuidado para que não se ferisse ainda mais gravemente. Além do

sofrimento pela expectativa de salvar o tucano, teve que aguentar a

burocracia para descobrir onde conduzir o animal. Ligou para o 190 e

mais uma dezena de lugares, sempre recebendo que "deveria procurar outro lugar".

 

Lembrou do padrinho, chamado Cícero, que o orientou a levar o pássaro ao Instituto Ambiental do Paraná (IAP). Apesar de ser a instituição responsável pelos cuidados, foi remetido à Divisão de Zoonoses, onde funciona a Rede de Proteção aos Animais. Mesmo sem ser o lugar da destinação legal,  a veterinária Lucyenne Popp não resistiu à situação de perigo da ave.

E finalmente encaminhou para os cuidados de emergência, com a consciência de não permitir mais o sofrimento do tucano. Assim que estiver em condições de sobrevivência, será encaminhado para o IAP. Mas a veterinária já adiantou que pela primeira observação, é possível que tenha de ser amputada a asa esquerda, privando a ave do principal elemento de sobrevivência.

Assim foi a aventura de Anderson que disse estar satisfeito e orgulhoso porque pode promover o salvamento de uma espécie tão rara e bela, da fauna brasileira.

 

2 comentários para a notícia

Avatar

Luciane Gaveliki dos Santos

23/08/2017 às 23:04

Amo animais, aves e qualquer ser vivo...pena que alguns seres humanos não saibam valorizar... mas alguns como o Anderson são raro de se encontrar. Parabéns Anderson.

Avatar

Carolina

23/08/2017 às 16:18

Adorei! Existem pessoas muito boas e que sabem valorizar o mais importante neste mundão: a vida! Moreira, aguardo uma continuação dessa história para saber o destino do animal! Abs

Comente esta notícia 

 

HDkXet