22/08/2017 (13:33)

Parlamento não quer Big Ben parado por 4 anos e promete antecipar

“Quando o Parlamento voltar (do recesso), e à luz das inquietações expressas por vários deputados, a Comissão da Câmara dos Comuns considerará a duração do período de silêncio dos sinos”. É o comunicado da Câmara Baixa após a última badalada do famoso0 relógio de Londres, o Big Bem, ao meio dia de segunda-feira, dia 21 de agosto de 2017.

 

Nem bem o público britânico e turistas assimilaram a parada obrigatória dos sinos da Torre de Londres (Torre de Izabel), já há reações contra a parada do relógio Big Ben. Deputados prometem revisar o silêncio adotado por 4 anos. “As badaladas do Big Ben são parte da vida parlamentar, e nos asseguraremos de que podem retomar sua função de guardiãs do tempo da nação, assim que possível”.

 

Nas entranhas do edifício histórico, centenas de operários já montaram andaimes e amanheceram o primeiro dia da segunda-feira de agosto, trabalhando duro. Engenheiros comandados por competentes estrategistas já estão sendo pressionados a reduzir em muito o tempo de duração da obra. O rel´´ogio está sendo desmontado peça a peça que serão limpadas e mecanismos serão adequados de acordo com tecnologia moderna.

 

Afinal de contas Londres, a histórica cidade e capital da Inglaterra, é reduzida no significado sem as batidas do relógio mais famoso. Durante os 158 anos da existência, o Big Ben parou de bater em 1983 e 2007. Desta vez admitem as autoridades e a própria Primeira Ministra, Tereza May, que é muito tempo de paralização.

 

Para ouvir as badaladas novamente, só nas passagens de ano e em comemorações especiais. Porém acredita-se que os esforços em conjunto, irão abreviar este silêncio que segundo um morador de Londres, "deixa tudo mais triste".

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

hg7EMX