19/07/2017 (17:37)

Justiça de São Paulo condena APPLE a anunciar memória real de iPhones

Porque a APPLE não anuncia a capacidade de memória real dos aparelhos que vende, entre os quais os iPhones, o juiz da 16ª Vara Cível de São Paulo condenou a empresa norte americana a interromper imediatamente a propaganda dos produtos. Justiça considerou "oferta enganosa" os anúncios transmitidos pelos meios de comunicação brasileiros.

 

Suspensão dos anúncios foi detyerminada dentro de 30 dias, a contar da sentença do dia 11 de julho de 2017. Intervenção foi requerida pela PROTESTE, a Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, com os advogados Rizzatto Nunes e Marcos Velloza. Decisão foi dada pelo juiz Felipe Poyares Miranda que sugere à APPLE anunciar a "memória utilizável" e não simplesmente o total.

 

Refere-se o magistrado aos produtos com memória de 16 GB, onde o

total utilizável é de apenas 13 GB. Nos aparelhos com memória bruta

de 32 GB, os usuários devem ser informados que resta apenas 29 GB

de armazenamento utilizável. Já nos aparelhos de 64 GB o anúncio

deve informar que 61 GB estão disponíveis

e que nos dispositivos com 128 GB, o utilizável é 125 GB.

 

 

Se a empresa deixar de cumprir a determinação judicial, terá de pagar multa diária de R$ 100 mil. Contudo ainda há prazo para contestação que as organizações costumam aproveitar.

 

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

uJV8Ig