16/12/2016 (20:37)

ZooRio volta receber público e planeja atrações

Um ambiente onde os animais circulam livremente como se estivessem na floresta, o próprio habitat, é o projeto que vai executar o RioZoo que reabriu (161216) após mais de um ano. Meta será realizada em 24 meses e colocará os visitantes "enclausurados", conforme a definição dada por José Roberto Scheller Junior, diretor do Zoológico.

 

A ideia é aproximar os visitantes dos animais e aumentar os espaços de confinamento.

RioZoo está administrado pela iniciativa privada que coloca fundamentos de empresa

ao sistema. Justamente essa característica é que está permitindo planejar algo "totalmente novo".

Promete "acabar os recintos com jaulas e colocar o animal como se vivendo no próprio 

habitat. É o visitante que fica encurralado ou enclausurado; ou atrás de vidro ou de

barreiras visuais, mas sem grades". A ideia já foi implementada nos maiores viveiros do zoo.

 

Visitantes recebem recomendações dos profissionais que cuidam das jaulas, como não tocar nem oferecer comida ou bebida aos animais. Outro ponto importante é evitar fotografias com flash, já que os olhos dos pássaros podem ser sensíveis à luminosidade intensa.

Casal de leões

Outra atração que chamou a atenção no RioZoo é o casal de leões exposto pela primeira vez. Em meio a pedras e pequenas cachoeiras que simulam habitat, os animais trazidos de zoológico de Santa Catarina, já são separados de observadores por um vidro reforçado.

"Os grandes animais são as maiores estrelas mundiais de zoológicos", diz o diretor.

Uma das atrações previstas é alimentar girafas. Na área do Zoológico conhecida

como "fazendinha" já é possível dar mamadeira a bezerros e tocar em animais

comuns em propriedades rurais.

O Zoo do Rio tem cerca de 1.300 animais e o planejamento da empresa que administra, é trazer mais atrações e também reintroduzir alguns na natureza. Uma parceria já firmada com o Parque Nacional da Tijuca pode reforçar o processo de inserção de araras na Mata Atlântica. Outra espécie que pode voltar ao seu habitat é o porco do mato cateto.

A empresa que assumiu a administração do Zoológico do Rio é do mesmo grupo que inclui Cataratas do Iguaçu, Econoronha, Paineiras Corcovado, AquaRio e Marco Três Fronteiras. Em 2 anos, o investimento previsto é de R$ 65 milhões.

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

QXafP6