21/10/2016 (19:38)

Documentos da Guerra do Paraguai agora na Memória do Mundo

Acervo de arte sobre a Guerra do Paraguai, foi reconhecido como "Memória do Mundo" pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). No ato feito na sede do Aaquivo Nacional, Lucien Muñoz, representante da Organização, alertou que em "grande parte" está em risco ou inacessível, o acervo histórico internacional.

 

Um acervo de desenhos, mapas e documentos da Guerra do Paraguai preservados por instituições brasileiras e uruguaias foi oficialmente reconhecido na quarta-feira (19) pelo Programa Memória do Mundo, da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

Chamado “A Guerra da Tríplice Aliança: representações cartográficas e iconográficas”, o conjunto reúne planificações cartográficas que nunca haviam saído dos arquivos do Exército brasileiro e do Itamaraty e que foram expostas pela primeira vez no Arquivo Nacional, durante a cerimônia de entrega do certificado de reconhecimento pela agência da ONU.

Exemplares vistos no evento

Entre os itens do acervo premiado que foram exibidos no evento, estavam também representações da paisagem e de personalidades do Paraguai, pertencentes à Marinha do Brasil e ao Museu Nacional de Belas Arte, bem como desenhos de comendas especialmente criadas para o conflito que haviam sido encontrados no Arquivo Nacional.

“Grande parte da memória do mundo espalhada por todo o planeta corre perigo atualmente ou não está acessível para o grande público”, explicou o representante da UNESCO no Brasil, Lucien Muñoz, que participou do evento no Arquivo Nacional, Rio de Janeiro.

Doadores entregam obras

“Esse é um título de reconhecimento da importância do conjunto de mapas e documentos referentes à Tríplice Aliança formada por Brasil, Argentina e Uruguai no período”, enfatizou. O Programa Memória do Mundo da UNESCO busca promover o acesso a documentos e acervos que relatem a história dos povos e que tenham valor universal. O objetivo é conscientizar o público sobre o valor do patrimônio e promover sua preservação.

O certificado da UNESCO foi concedido às 9 entidades que inscreveram as obras para fazer parte da iniciativa da agência da ONU: Arquivo Histórico do Exército, Arquivo Nacional, Diretoria do Patrimônio Histórico e Documentação da Marinha, Fundação Biblioteca Nacional, Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Ministério das Relações Exteriores – Escritório de Representação no Rio de Janeiro (ERERIO), Museu Histórico Nacional, Museu Imperial e Museu Nacional de Belas Artes.

As duas instituições uruguaias que apresentaram a candidatura juntamente com as brasileiras já haviam recebido o certificado.

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

TvphzO