09/02/2018 (05:54)

Radiação solar atinge índice perigoso no Brasil. Veja como se proteger.

Nem acabou o inverno e a previsão do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e já se pede cuidados porque o índice de radiação UV (ultravioleta) em todo o Brasil vai exigir proteção para os olhos. Para prevenir, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda usar óculos com lentes que filtrem 100% do UV quando a radiação atinge 6.

 

INPE prevê que na semana que termina, o índice de radiação UV em todo o País,

aumente o risco de contrair doenças oculares.

 

A recomendação da OMS (Organização Mundial da Saúde) é usar óculos com lentes que filtrem 100% do UV quando a radiação atinge 6. Até o sábado (160917), o UV máximo superou este índice, conforme o INPE. Os picos ficam com as regiões norte e nordeste onde deve variar de 11 até 12. No centro-oeste a variação pode ir de 10 a 11. No sudeste de 9 a 10 e no sul de 6 a 9.

Recente pesquisa realizada pelo oftalmologista Leôncio Queiroz Neto do Institutito Penido Burnier em Campinas com 814 participantes, mostra que só 45% das pessoas usam óculos nas atividades externas durante o ano todo. Esse é o problema. O médico ressalta que a população que realmente protege os olhos pode ser ainda menor. É que um levantamento da Abióptica (Associação Brasileira da Indústria Óptica) revela que só em 2015 foram apreendidos 8,7 milhões de óculos escuros piratas de qualidade duvidosa no Brasil. Além disso, um estudo que acaba de ser publicado na BioMedical Engineering revela que o filtro UV tem validade de 2 anos, fato desconhecido pela maior parte da população.

Óculos sem proteção UV é pior para os olhos

O especialista afirma que usar óculos escuros de baixa qualidade é pior do que a falta deles. Isso porque, as lentes escuras fazem com que a pupila dilate. Significa que sem filtro UV permitem a penetração de mais radiação no globo ocular. O resultado são doenças na córnea, cristalino e retina. Para quem precisa usar óculos de grau, observa, é possível aplicar nas lentes um filtro UV transparente que além de proteger os olhos do sol, evita danos causados pela luz azul emitida por equipamentos eletrônicos.

Catarata precoce

Queiroz Neto comenta que o efeito da radiação é cumulativo. Está entre os principais fatores que vêm contribuindo com o aparecimento precoce da catarata no Brasil. Isso porque, usar óculos escuros sem proteção aumenta em 60% a chance de contrair catarata.

A doença responde por 48% dos casos de cegueira no mundo, segundo a OMS. No Brasil, a estimativa é de que cresce 20% ao ano com 120 mil novos casos diagnosticados anualmente.

Outras doenças oculares

O especialista afirma que a exposição por mais de seis horas à radiação solar também pode causar ceratite na córnea. Apesar de ser uma inflamação com vermelhidão e desconforto temporários, provoca a morte de células. Por isso, pode reduzir a visão.

Outra doença ocular causada pela radiação é a degeneração da retina, maior causa de cegueira irreversível, desencadeada pela oxidação das células.

Cor mais apropriada

Queiroz Neto ressalta que bons óculos escuros ajustam a quantidade de luz que chega aos olhos sem alterar a visibilidade. Para o dia a dia recomenda as cores âmbar, marrom e cinza, que permitem boa visão de contraste e profundidade, além de reduzirem reflexos. Já as lentes cinza melhoram a visão de contraste e tornam mais segura a direção em dias nublados.

Para surfistas e outros esportes aquáticos, observa, as lentes rosa e púrpura melhoram a visão de contraste em fundos verdes ou azuis. O oftalmologista finaliza recomendando aos motoristas o uso de lentes amarelas no entardecer para reduzir o ofuscamento de motoristas provocados pela luz dos faróis.

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

AyFk2d