26/07/2016 (19:18)

Manguezais do mundo estão em risco

Manguezais de todo o mundo estão enfrentando sérios desafios de destruição, como o aumento do nível das águas do mar e ameaças à biodiversidade pela ação do homem e até ocupações irregulares. Apesar disso os técnicos afirmam que são essas reservas importantes na proteção do litoral marinho e ajudam a reduzir os efeitos de mudanças do clima.

 

Irina Bokova, diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e candidata a secretário-geral da ONU, fez essas advertências para lembrar o Dia Internacional para a Conservação do Ecossistema de Mangue (celebrado pela primeira vez, 160726). Afirmou que são preocupantes os riscos enfrentados por esses biomas.

Bokova lembrou ainda que “os mangues são ecossistemas raros e férteis”, que garantem a segurança alimentar de comunidades locais, oferecendo biomassa e produtos silvestres, além de sustentarem atividades pesqueiras. “A Terra e a humanidade simplesmente não podem se dar ao luxo de perder esses ecossistemas vitais”, ressaltou Bokova, que ressaltou o protagonismo da agência da ONU e de parceiros na conservação dos mangues.

Reservas da biosfera têm 86 manguezais

Dos 669 sítios reconhecidos pela Rede Mundial de Reservas da Biosfera, 86 incluem áreas de manguezais. Muitos desses locais estão localizados em países emergentes e em pequenos Estados insulares em desenvolvimento. São os casos da Reserva da Biosfera La Hotte, no Haiti, e a Ilha de Príncipe, em São Tomé e Príncipe, bem como o Mangue Can Gio, no Vietnã.

A Lista do Patrimônio Mundial da UNESCO também inclui os Sundarbans, o maior sistema de mangue ininterrupto do mundo, localizado em uma área entre a Índia e Bangladesh e que abriga o icônico tigre-de-bengala. A Rede Mundial de Geoparques do organismo internacional também abriga zonas onde o ecossistema é encontrado, como o Geoparque Mundial de Langkawi, na Malásia.

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

B882Ib