24/01/2017 (22:21)

Técnicos aprendem economizar energia nos edifícios

Eficiência energética dos sistemas elétricos de edificações, são cursos realizados em São Paulo para técnicos, engenheiros e arquitetos dos setores público e privado. Reduzir consumo de eletricidade até 4 milhões de megawatts, além das emissões de gases do efeito estufa em até 2 milhões de toneladas de carbono, são as metas para os próximos 20 anos

 

Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e o Ministério do Meio Ambiente promovem esses treinamentos sobre a eficiência energética dos sistemas elétricos de edificações. Cursos abordaram classificações, também conhecidas como “etiquetagens”, de prédios estatais e empresariais segundo critérios que avaliam o desperdício de energia nas operações e manutenção das instalações.

Ao longo dos encontros, foram apresentados sistemas de iluminação, condicionamento de ar e envoltório e as respectivas categorizações. A capacitação também mostrou o impacto ambiental provocado pela adaptação de edifícios públicos a padrões de consumo de energia mais eficientes.

Os benefícios dessa atividade, podem incluir a redução de emissões dos gases de efeito estufa e mudanças até mesmo em processos licitatórios de projetos e obras. As aulas voltadas para especialistas do setor público terão como foco a legislação brasileira e o cálculo de classificações de prédios através de ferramentas digitais.

Parceria Ministério e PNUD

Os cursos são promovidos pela agência da ONU e pela pasta federal por meio do Projeto Transformação do Mercado de Eficiência Energética (Projeto 3E) — financiado pelo Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF).

Uma parceria entre o programa, o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (INMETRO) e a Eletrobras criou a Eiqueta PBE Edifica, como forma de incentivar a adequação de edificações comerciais, de serviços, públicas e residenciais a padrões de desempenho e segurança em consumo de energia.

Atividades pelo Brasil

Saiba mais sobre os cursos oferecidos pelo PNUD e o Ministério do Meio Ambiente.  Além dos encontros em São Paulo, também estão previstos treinamentos em Manaus, Brasília, Rio de Janeiro, Salvador e Fortaleza.

Ao longo dos encontros, serão apresentados sistemas de iluminação, condicionamento de ar e envoltório e suas respectivas categorizações. A capacitação também vai discutir o impacto ambiental provocado pela adaptação de edifícios públicos a padrões de consumo de energia mais eficientes.

Os benefícios podem incluir a redução de emissões dos gases de efeito estufa e mudanças atém mesmo em processos licitatórios de projetos e obras. As aulas voltadas para especialistas do setor público terão como foco a legislação brasileira e o cálculo de classificações de prédios através de ferramentas digitais.

 

Seja o primeiro a comentar esta notícia.

Comente esta notícia 

 

Mh9qIC