Para Não Morrer Por Raios, Siga Estes Conselhos dos Técnicos do INPE
Raios sao mais frequentes no verao. Aqui indicacoes como evitar acidentes e modo de se proteger
30-09-2019 22:58:58 (2443 acessos)
Afastar-se de postes de iluminação, árvores, cercas de arame farpado e sair imediatamente da praia ou piscina ao menor indício de raios ou trovões. É o que as pessoas podem fazer para evitar a morte por raios, fenômenos que já mataram milhares de pessoas no Brasil, que é País recordista de incidência de raios. Estatísticas são acompanhadas pelo Grupo de Eletricidade Atmosférica (ELAT) do INPE, Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais.

É importante evitar locais onde a pessoa seja mais alta que o objeto. 

Para evitar acidentes também é prudente, de acordo com o INPE, evitar

falar ao telefone, principalmente os fixos com fio, pois o fio transporta

a corrente elétrica de um raio. É sempre recomendável utilizar, dentro

de casa, o telefone sem fio. Além disso, não é aconselhável usar o celular

na rua quando houver raios. A interferência gerada por uma

descarga próxima pode danificar o aparelho e causar leves queimaduras no rosto.

O INPE alerta que o maior perigo é ficar em local descampado, como os campos de futebol, as pastagens, estradas, montanhas ou à beira de lagos. Procurar abrigo debaixo de árvores é um erro muito comum e pode ser fatal. Se não for possível entrar em uma residência, o melhor é ficar agachado no chão, com as mãos na nuca e os pés juntos.

No Brasil caem, por ano, cerca de 50 milhões de raios. Em 2017 chegaram a mais de 77 milhões. Desse total, aproximadamente 80% ocorrem entre outubro e março. De 2000 a 2009, o estado em que mais caíram raios, em média, por ano, foi o Amazonas (11 milhões), seguido pelo Pará (7, 3 milhões) e por Mato Grosso (6,8 milhões). No mesmo período, o estado de São Paulo registrou o maior número de mortes (230), seguido pelo Rio Grande do Sul (106) e por Minas Gerais (99). Dados do Inpe indicam que a média de mortes ao ano provocadas por raios, entre 2000 e 2009, foi de 131.

 

"Noventa por cento das mortes ocorridas no País se deram em circunstâncias que poderiam ter sido evitadas se as pessoas tivessem mais informações e se seguissem as recomendações de proteção". Palavras do coordenador do Elat à época (2017), Osmar Pinto Junior.

 

O INPE alerta que o maior perigo é ficar em local descampado, como os campos de futebol, as pastagens, estradas, montanhas ou à beira de lagos. Procurar abrigo debaixo de árvores é um erro muito comum e pode ser fatal. Se não for possível entrar em uma residência, o melhor é ficar agachado no chão, com as mãos na nuca e os pés juntos.

 

Fonte:
 

 Não há Comentários para esta notícia

 

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Noticiario, não reflete a opinião deste Portal.

Deixe um comentário

K7Xak