Força Nacional contra desmatamento na Amazônia, fica até 2021
Esta garantida pelo Governo Federal, atuacão da Forca Nacional na Amazonia. Foto FUNAI, Mario Vilela
14-10-2020 22:32:35 (47 acessos)
Está prorrogada até 11 de abril de 2021, a permanência da Força Nacional de Segurança Pública em apoio às ações do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) na Amazônia. Decisão é do Ministério da Justiça e Segurança Pública, que usou uma portaria, a qual já está publicada no Diário Oficial da União de 14 de outubro de 2020. Objetivo maior é o combate ao desmatamento, mas também cuidará de punir a extração ilegal de madeira, minério e invasão de terras.

Governo Federal prorrogou, por mais 180 dias, a atuação da Força Nacional de Segurança Pública em apoio às ações do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) na Amazônia. Os militares vão atuar nas unidades de conservação federais, com ênfase no combate ao desmatamento, à extração ilegal de minério e madeira e à invasão de áreas.

As ações são em caráter episódico e planejado e acontecem até 11 de abril de 2021. A Força Nacional atua no combate a crimes ambientais na Amazônia desde 2018 e, de lá para cá, o governo vem fazendo as prorrogações para manter o efetivo na região.

A quantidade de militares a ser disponibilizada obedecerá ao planejamento definido pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. A portaria de prorrogação foi publicada hoje (20201014) no Diário Oficial da União.

 Em 57 bases de apoio logístico avançadas, servem como pontos

de irradiação para emprego de tropas e meios no combate a delitos

ambientais, como desmatamento ilegal, focos de incêndio, garimpo

irregular, comércio ilegal de espécies animais, caça e pesca predatórias.

Forças Armadas estao atuando na faixa de fronteira, nas terras indígenas,

nas unidades federais de conservação ambiental e em outras áreas federais

da região. Em média, diariamente, o efetivo envolvido nas ações é de 3600 militares,

3141 brigadistas, 260 agentes, 210 veículos, 3 navios, 30 embarcações e 12 aeronaves.

O emprego dos militares e dos meios das Forças Armadas permite levar a presença do Estado a diversas localidades em pouco tempo, permitindo assim a mais ampla atuação dos agentes ambientais. Até o momento, os militares apoiaram 13.287 inspeções, patrulhas navais e terrestres, além de vistorias realizadas pelos órgãos de proteção ambiental e de Segurança Pública. Desde o começo da operação, montaram 372 pontos de bloqueio e controle de estradas e rios. Participaram, também, de 822 apoios logísticos e de segurança aos órgãos de Segurança Pública e proteção ambiental.

 

Fonte: Agência Brasil e Ministério da Justiça
 

 Não há Comentários para esta notícia

 

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Noticiario, não reflete a opinião deste Portal.

Deixe um comentário

awAtW