Isolamento causa queda de 23,3% às indústrias brasileiras
Industria brasileira perdeu 23,3% de ganhos com o isolamento exigido pelas autoridades. Foto EBC
09-06-2020 21:08:29 (146 acessos)
"Sem precedentes” são as perdas causadas à indústria brasileira, pelo isolamento a pretexto de evitar contágio pelo coronavírus. Sem desânimo, é o primeiro resultado mostrado pela (20200609) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) que programa reações em todos os segmentos e ainda procura contribuir com a orientação das autoridades de saúde. Maioria das indústrias realizam exames coletivos com os trabalhadores para descobrir se estão infectados ou não.

Diz a CNI que houve redução da demanda de consumo, causada pelo isolamento social. Isso afetou o faturamento das empresas, as horas trabalhadas na produção e a utilização da capacidade instalada da indústria “de forma sem precedentes”.

De acordo com a pesquisa Indicadores Industriais, do mês de abril, todos esses índices tiveram queda recorde e registram os menores níveis de toda a série histórica, iniciada em 2010. O emprego industrial foi o menor desde 2004. Em março, os três índices já haviam registrado queda.

A indústria relata perdas de 23,3% do faturamento, queda de 19,4%

nas horas trabalhadas na produção e redução de 2,3% no número de

empregados em abril, em relação a março deste ano. A utilização da

capacidade instalada caiu 6,6 ponto percentual em abril se comparado

a março e 8,2 ponto percentual em relação à abril de 2019.

Para a CNI, abril foi o pico da crise, pois foram adotadas medidas de isolamento social na maioria das grandes cidades durante todo o mês. A expectativa da entidade é que a economia comece a retomada ainda neste mês, mas, já na pesquisa de maio, é possível que o cenário industrial apresente leve melhora, com a redução das restrições no fim do mês em algumas localidades.

Como ainda não há vacina, nem remédios comprovados cientificamente contra a covid-19, a orientação visa frear a transmissão do vírus para evitar que os sistemas de saúde fiquem sobrecarregados e consigam atender todos as pessoas que venham a ficar doentes. 

 

Fonte: CNI e Agência Brasil
 

 Não há Comentários para esta notícia

 

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Noticiario, não reflete a opinião deste Portal.

Deixe um comentário

qAIRN