Shoppings podem ter errado ao proibir frequência de idosos
Shopping Curitiba esta entre os que proibem a entrada de pessoas acima dos 59 anos de idade
11-06-2020 22:21:32 (235 acessos)
Além do erro de fechamento por quase 50 dias, os shoppings do Brasil podem ter errado ao excluir os idosos. Segmento que representa maior parte dos frequentadores desses locais, junto com os jovens, é de longe o que mais gasta em todos os segmentos desde moda até praças de alimentação. Em Curitiba com quase 2 milhões de habitantes a proibição tem reações diversas, mas João Armando e Custódia retratam o pensamento dos de idade maior que 59 anos: "antipática medida".

20200606 - 19:07 horas

Na primeira semana da reabertura, os shoppings do Rio de Janeiro, Recife e Curitiba, não atraíram nem 50% do público de antes do isolamento por causa da infecção pelo coronavírus. Esse comportamento também está sendo sentido nos supermercados, que perderam quase 40% da clientela anterior.

Para os idosos a professora Juliana, de São Paulo, considera uma "ofensa" apesar de se insistir em proteção para que não contraiam o vírus. Contudo observa que "shopping não me faz falta", ao ser barrada pelos seguranças na entrada.

Ruim para os lojistas de shoppings, bom para os que tem comércio nas ruas. Durante todos os dias esse tipo de comércio recebeu mais clientes e compradores, do que habitualmente. Qualquer cidade onde tem rua fechada, esse é considerado um "fenômeno" que marca o ressurgimento das lojas de rua. E novamente neste particular a capital Curitiba é um dos melhores exemplos, com a rua XV de Novembro e proximidades.

 

20200602 - 17:51 horas

Só em 2021 Shoppings Centers do Brasil acreditam em recuperação

Shoppings Centers do Brasil não estão otimistas que ainda em 2020 consigam recuperar as perdas de 45 dias de errôneo fechamento. Isso provocou prejuízos superiores a R$ 50 bilhões (número que pode ser pior). De mais de 600, o País possui atualmente (20200602) em torno de 215 abertos em 90 cidades. A despeito da situação de retorno, mais de 30% foram fechados e atrair clientes passou a ser um desafio de muita criatividade.

Hoje já se sabe que os frquentadores que tradicionalmente apareciam nos shoppings, não estão muito dispostos. E quando aparecem nos locais abertos, procuram sair logo. De acordo com a Associação Brasileira de Shoppings Centers, o tempo médio de permanência no interior do shopping, caiu de 76 minutos para apenas 25. Lojas calculam que a clientela caiu para menos de 50%.

De qualquer modo, a recuperação vai exigir trabalho gigantesco, porque com tantas falências ou fechamento dentro de shoppings, vão cair os lucros de imnvestidores. Não está fora de cogitação a redução dos valores de aluguel e outras despesas, por parte dos donos do negócio. Isso está realmente em discussão, mas vai caminhar de acordo com a evolução da economia nacional.

 

20200525 - 13:47 horas

Shoppings de Curitiba reabrem até com filas

Filas extensas foram registradas na reabertura de alguns shoppings de Curitiba, como o Estação que teve espera nas duas portarias devido ao rigor da prevenção com máscara e higienização de mãos. Foi normal em outros como o Curitiba Shopping e Park Shopping Bariguí. O mais tradicional da cidade, Shopping Mueller, transferiu a reabertura para a terça-feira (20200526). Movimento maior foi nas praças de alimentação, vendedores e funcionários de lojas.

Ao contrário do que se imaginava, não houve retorno entusiasmado para esses ambientes que historicamente são os mais frequentados na capital paranaense. Interessados estavam mais, os vendedores pela retomada dos negócios. É o caso de Beatriz, que negocia malas de marca Ika para a loja Vanguard. Apesar das perdas, não critica o fechamento, embora indique teria sido melhor menos dias.

Para o taxista Rafael, que de vez em quando fica no ponto do Shopping Estação, foram dias muito ruins esses da pandamia. Trouxe prejuízos e aflição. Jovens como Maria e Anísia, lamentaram todo esse tempo sem poder retornar ao "local aconchegante" do Shopping Estação. Ali mesmo o entregar Maicon, que usa a bicicleta, disse que foram "ótimos dias" para o que faz. E acredita que atividade será mais intensa daqui para frente.

Gabriela, como funcuionária de uma das lojas, estava "ansiosa" para voltar ao trabalho no Shopping Curitiba. Mas para Georges, esse tempo de isolamento foi o pior pois foi demitido da loja Centauro onde trabalhou nos últimos anos. Mais ruim ainda porque foram dispensados cerca de 30 no mesmo lugar. Agora está usando a motoca para fazer entregas, no que é auxiliado por Marina.

Nos estacionamentos dos shoppings que começaram funcionar, as filas ocorreram durante todo o dia. Isso foi por causa das exigências da Associação Brasileira de Shoppoings e da própria Prefeitura. Há normas de higiene a serem cumpridas sob pena de multas e até fechamento caso não sejam praticadas.

Enfim a chamada "capital dos shooppings centers do Brasil" retoma atividades numa movimentação que ainda é preciso observar para ver como irá funcionar.

Em outros estados brasileiros a situação tem sido semelhantes, com a retomada sob vigilância rigorosa dos princípios de prevenção contra infecções por vírus.

 

20200514 - 00:24 horas

Shopping centers brasileiros irão reabrir com regras de prevenção

Reabertura quanto antes é o propósito dos quase 500 shoppings centers espalhados pelo Brasil e total funcionamento de outros 83 que estavam atendendo mesmo na vigência da pandemia. Empresários querem cuidar do negócio de pequenos e médios comerciantes sem outra fonte de renda; e, ao mesmo tempo contribuir para ajudar o País a superar a crise causada pelo isolamento da infecção oportunista do coronavírus. Garantem que atenderão os preceitos de segurança em saúde e até definiram elenco de cuidados

20200511 - 21:05 horas

 

Shoppings são uma força na economia do País. Além de empregarem diretamente 3 milhões de pessoas, já amargam prejuízos da ordem de R$ 15 bilhões, além do sacrifício de quase uma dezena que encerraram definitivamente atividades.


Para garantir a reabertura "segura", os empresários de shoppings anunciaram estas medidas:

  1. controle do fluxo de pessoas
  2. portas exclusivas de entrada e de saída
  3. redução de vagas no estacionamento
  4. pisos com marcações de distâncias
  5. álcool em gel em todas as lojas e locais de acesso
  6. uso obrigatório de máscaras para clientes e funcionários
  7. equipamento de testagem de funcionários
  8. medição de temperatura corporal na entrada
  9. colocação de tapetes barctericidas nos acessos
  10. abertura sem evento
  11. horário de funcionamento reduzido
  12. fechamento dos cinemas
  13. redução do número de cadeiras nas praças de alimentação e restaurantes
  14. funcionários de grupo de risco não podem trabalhar com o público
  15. orientação dos consumidores para desinfecção0 das mãos
  16. aumentar a frequência de desinfecção nas áreas públicas
  17. canais de comunicação de fácil acesso, rápidos
  18. garantir atendimento com segurança
  19. fazser divulgação e campanhas sobre segurança oferecida pelo shopping à comunidade
  20. sistemas eficientes de comunicação com todos, funcionários e consumidores
  21. na reabertura, redobrar cuidados aos frequentadores
  22. evitar a operação do sistema de vallets
  23. não usar objetos difíceis de higienizar
  24. cuidar do controle de acessos a clientes para não haver aglomeração
  25. trocar filtros de ar condicionado e colocar bactericidas nas bandejas
  26. isolar áreas para controlar o fluxo de pessoas
  27. limpeza e higienização de escritórios e fazer reuniões por videoconferência
  28. ajudar na propagação de campanhas de saúde pública.

 

Depois desta etapa, os administradores já preveem a segunda fase, que será a do funcionamento completamente normalizado. Mas já sde prevê que muita coisa deverá perdurar como os espaçamentos e uso de máscaras.

 

Fonte:
 

 Não há Comentários para esta notícia

 

Aviso: Todo e qualquer comentário publicado na Internet através do Noticiario, não reflete a opinião deste Portal.

Deixe um comentário

ac9YW